Parte dos passageiros das linhas metropolitanas intermunicipais que cruzam Bertioga está organizando um protesto contra as mudanças de itinerários dos ônibus intermunicipais que devem entrar em vigor neste domingo, 10. As linhas intermunicipais são geridas pela EMTU SP (Empresa Metropolitana de Transporte Urbano de São Paulo). 

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/CostaNorteInforma  📲 Informe-se, denuncie! 🔵

Os protestos devem acontecer na segunda-feira, 11, primeiro dia útil em que trabalhadores que vêm de outros municípios como Guarujá ou Santos terão de pegar pelo menos mais uma condução para chegar ao trabalho, na Riviera de São Lourenço. A Riviera é o bairro mais desenvolvido economicamente de Bertioga, empregando parte considerável da força de trabalho local e intermunicipal.   

Os protestos buscam reverter a mudança de itinerário dos intermunicipais, sobretudo em relação ao ponto final, que era dentro da Riviera e passa a ser a aproximadamente 13 km de distância, na avenida Dezenove de Maio, região central de Bertioga.

Pressionada pelos usuários dos ônibus, a prefeitura de Bertioga divulgou um comunicado com as reduções dos preços. “Com o encurtamento do percurso das linhas, a redução no preço das passagens poderá chegar em até 33%”, afirmou o órgão.

No comunicado da prefeitura, a diretora de Trânsito e Transporte, Thalita Walperes, explica que com a mudança de itinerário haverá redução no trajeto e com isso haverá “uma significativa redução do percurso e do tempo da viagem, já que muitos usuários não precisarão mais passar por trajetos desnecessários para chegar ao seu destino final”.

O problema, segundo muitos usuários é que a alteração mexeu no destino final das pessoas. Talita Vitoria Menezes, de 26 anos, que todos os dias sai de sua casa no bairro Caruara, na Área Continental de Santos, pega o 930 ou o 961 para se deslocar até dois mercados e uma padaria do grupo Pão de Açúcar na Riviera, onde passa o dia trabalhando como promotora de vendas, discorda dos argumentos da gestão municipal.

 “Eu trabalho em três lugares, o ônibus hoje passa na porta. Agora eu vou ter de descer no centro de Bertioga e esperar outro ônibus até a porta da Riviera. Pelo que conversei, os ônibus que saem do centro, levam até 40 minutos pra passar no ponto, fora o tempo de viagem de cerca de meia hora. Depois, se tiver que entrar na Riviera, tenho que pegar outro ônibus.  O trajeto que eu faço em pouco mais de uma hora vai aumentar para mais de duas horas”, relata Talita. Ela é uma das passageiras que tomou a frente dos protestos que promete sair dos grupos de Whatsapp e tomar a principal avenida de Bertioga, na segunda-feira, 11.

Talita, junto de outros usuários dos ônibus, por orientação do Ministério Público de São Paulo (MPSP), também organiza um abaixo-assinado e não descarta judicializar o caso. Segundo ela, a EMTU e a prefeitura não consultaram os usuários dos ônibus tampouco estudaram a necessidade das pessoas antes de realizar a alteração. “Qualquer um que pega esses ônibus todos os dias sabe que a maioria dos passageiros desce na Riviera e depois sai de lá no final do dia. São diaristas, empregadas, porteiros, vendedores, babás, trabalhadores em geral, essas pessoas já têm horários apertados, já vêm de longe, já passam horas em ônibus.”

Talita Menezes também será prejudicada em seu bolso. A partir de domingo, dia em que ela trabalha, só de ida, em vez de pegar um ônibus, ela vai pegar de dois a três. “Vou ter de pegar um ônibus da 19 de Maio até a Riviera e dependendo do lugar onde eu for lá dentro, mais um ônibus. Tudo isso pagando 4,50 por passagem municipal”.

Com aritmética básica é possível determinar com precisão: mesmo com a redução da passagem da linha 930 de R$ 10,35 para R$ 6,90, a promotora de vendas vai gastar mais dinheiro em todos os casos, além de levar o dobro ou mais do tempo que leva hoje para chegar ao trabalho.

Atualmente, pegando um ônibus com condução em R$ 10,35, ela gasta diariamente R$ 20,70. Com a mudança, se tiver a sorte de pegar dois ônibus, gastará R$ 2,10 a mais por dia. Se pegar três, gastará R$ 31,80 diariamente, R$ 11,10 a mais por dia. "Não sei se a empresa vai arcar com esse valor, vou ter de conversar no RH e pedir. Mas sei que têm empregadas domésticas, diaristas que podem perder o emprego por isso. Também tem gente que procura emprego por lá e vai ficar mais difícil chegar à Riviera. Não sei se num momento de tanto desemprego é a melhor hora para isso".  

No comunicado da prefeitura de Bertioga, o  secretário de Segurança e Cidadania, Luiz Stefani, declarou que a mudança traria mais agilidade aos usuários e mais benefícios ao município. “Com mais pessoas utilizando as linhas municipais em Bertioga, haverá um aumento na arrecadação, o que consequentemente se refletirá em mais investimentos no transporte público e em melhorias na mobilidade urbana”, disse o secretário.

De acordo com Carlos Roberto de Sousa Santos, um dos articuladores do protesto de segunda-feira, 11, a mudança nos itinerários não leva benefícios. “A alteração foi feita de forma unilateral, foi equivocada. Uma mudança dessas não pode ser feita no apagar das luzes; tem gente que nem voltou de férias e vai ser surpreendido. Isso tem que ser feito com diálogo, com tempo. A EMTU e a prefeitura têm que manter o ponto final da Riviera, abrir o diálogo com os usuários, tem que fazer um estudo antes, aí sim alterar o itinerário.”  

Talita Menezes, mãe de um filho de oito anos, concorda. “Vou perder duas horas, que poderia estar com meu filho, dentro de um ônibus. Não é que melhorias não podem ser feitas. Se a empresa quiser alterar um ponto, um local onde o ônibus passa. Mas uma alteração no ponto onde grande parte das pessoas desce não faz sentido. As pessoas estão indignadas, eu estou indignada”, desabafa.

O protesto dos passageiros está programado para acontecer na manhã de segunda-feira, no retorno da avenida 19 de Maio, onde será o novo ponto final. Os passageiros estudam a possibilidade de fechar a avenida. 

Além da linha 930 foram alteradas as linhas: 8303 Bertioga X Boiçucanga; 929 Bertioga (Riviera de São Lourenço) X Guarujá (Terminal Ferry Boat); 930 Guarujá (Ferry Boat) X Bertioga (Riviera de São Lourenço); e 961 Santos (Caruara) X Bertioga (Riviera de São Lourenço).

Atualização - 21h00

Após a publicação desta reportagem, a prefeitura de Bertioga suspendeu temporariamente a implantação das mudanças nos itinerários das linhas intermunicipais operadas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), BR Mobilidade e Artesp/Pássaro Marron, que entrariam em vigor a partir deste domingo, 10.

Saiba mais: Prefeitura recua e suspende alterações nos itinerários e tarifas de ônibus intermunicipais