Guarujá, junto de Santos, foi uma das primeiras cidades da Baixada Santista a confirmar sua adesão à fase vermelha e laranja do Plano São Paulo do governo estadual.

Após Santos, a gestão municipal de Guarujá também confirmou a adesão à reclassificação. “Guarujá seguirá as medidas restritivas impostas pelo Governo de São Paulo nesta sexta-feira”, declarou, por meio de nota, a gestão municipal, no final da tarde de sexta-feira, 22.

Mesmo com a adesão, porém, permanecem as dúvidas dos moradores e turistas de como será a dinâmica desse espaço que é o grande atrativo e a grande peculiaridade das cidades litorâneas: as praias. Após entender como funciona a fase vermelha no Guarujá, entenda como ficam as praias durante o período de fase laranja e vermelha. 

COMO FUNCIONA A FASE VERMELHA

A fase vermelha é a mais restritiva do plano São Paulo. Nesta fase, apenas os serviços essenciais como farmácias e supermercados são autorizados a funcionar. Ou seja, na fase vermelha, em que as regiões estão em alerta, bares, restaurantes, shopping centers e comércio não essenciais são proibidos de funcionar.

Será esse o panorama de todo estado de São Paulo, incluindo Guarujá, nos dias úteis, após às 20h até às 6h e aos finais de semana. As restrições durarão até, no mínimo, 08 de fevereiro, quando entra em vigor uma nova reclassificação que deve ser anunciada pelo governo estadual no dia 05 de fevereiro.

COMO FUNCIONA A FASE LARANJA

Segunda fase mais restritiva. Esta é uma fase de controle da disseminação do vírus. As novas regras desta fase, estipuladas em 08 de janeiro, são:

Capacidade limitada de 40% de ocupação para todos os setores;

Funcionamento máximo dos estabelecimentoss de 8h;

Proibição de atendimento presencial em bares; 

Atendimento presencial proibido em todos os estabelecimentos após as 20h;  

Parques estaduais podem abrir;

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/CostaNorteAlerta  📲 Informe-se, denuncie! 🔴

 

GUARUJÁ: O QUE É PERMITIDO E O QUE É PROIBIDO NAS PRAIAS 

Guarujá não irá interditar as Praias. "As praias seguem liberadas, porém com regras", anunciou a prefeitura em comunicado no mesmo dia em que anunciou a adesão ao recrudescimento estadual. Isso não quer dizer que tudo é permitido nos espaços, a gestão municipal tem tentado equilibrar o respeito às normas estaduais com outros direitos da população. 

Aos finais de semana e todos os dias, das  20h às 6h, em que a fase vermelha está ativa, apenas atividades essenciais são permitidas. Isso vale também para as praias.

Já nos períodos de fase laranja, as proibições são diferentes. "O uso das praias seguirá com limitações em relação ao uso de guarda-sóis, conforme decreto municipal publicado em dezembro", afirmou a gestão municipal. Diferentemente de outras cidades da Baixada, Guarujá não proibiu completamente o uso de cadeiras e guarda-sóis nas prais nos períodos de fase laranja. 

Banhistas também podem continuar utilizando os espaços, porém com regras. Está permitida, no Guarujá,  a disponibilização, por cada ambulante ou quiosque, de no máximo 10 guarda-sóis, com duas cadeiras cada.

Para hotéis, pousadas e condomínios, a regra tem uma diferença: a disponibilização está restrita a um guarda-sol e duas cadeiras para cada quarto/unidade habitacional.

Guarda-sóis e cadeiras estão proibidos de serem utilizados tanto pelos comerciantes quanto pelos banhistas na faixa de areia da praia;

Nos períodos de fase vermelha (das 20h às 6h nos dias úteis, e aos finas de semana) restaurantes, quiosques e congêneres estarão proibidos de funcionar. Esses mesmos estabelecimentos, porém, estão autorizados a funcionar por meio de serviços de entrega de pedidos e também para retirada de pedidos pelos consumidores. Não pode haver consumo de alimentos no local e nem aglomerações, nem mesmo para a retirada de entregas.

A prefeitura de Guarujá tem recomendado "cautela e bom senso na utilização de praias e espaços públicos", com o uso de máscaras e adoção das medidas profiláticas condizentes com a pandemia do novo coronavírus, com higienização permanente das mãos com água e sabão ou álcool em gel, entre outras. O combate  ao coronavírus, afirmou a gestão municipal da cidade, é responsabilidade de todos.

 

PORQUE A REGIÃO CAIU PARA A FASE LARANJA-VERMELHA?  

Na pior semana epidemiológica da história, com a covid-19 saindo de controle, matando uma pessoa a cada seis minutos em SP e taxa de ocupação de UTIs acima de 70%, o governo estadual promoveu um recuo sem precedentes em todas as regiões do estado em reclassificação extraordinária realizada no Palácio dos Bandeirantes, no início da tarde da última sexta-feira, 22. As duas fases são as mais restritivas. Nenhuma cidade do estado permaneceu na fase amarela.

Além disso, como medida emergencial para conter o avanço alarmante da covid-19, foi também determinado que mesmo as regiões que recuaram para a fase laranja permanecerão na fase vermelha todos os dias das 20h às 6h e aos finais de semana (saiba as regras detalhadas de cada fase aqui).

Este panorama é a caso da região da Baixada Santista, anteriormente na fase amarela. Em termos concretos o rebaixamento significa que a região vai cair de restrições leves da fase amarela à lockdown aos finais de semana.  As mudanças passaram a valer nesta segunda-feira, 25, e seguem em vigor até a dia 8 de fevereiro, data em que está programada uma nova reclassificação.