Agentes da Polícia Militar de Bertioga, no litoral paulista, atenderam a uma ocorrência dramática na madrugada desta quinta-feira, 14. A então gestante Maria Eduarda dos Santos entrou em trabalho de parto por volta da meia-noite, na rua Carvalho de Santana, 190, no bairro Maitinga, região central de Bertioga. De acordo com uma testemunha, a mãe chegou a dar à luz no local. Durante o nascimento, porém, o cordão umbilical se enroscou no pescoço da bebê recém-nascido, que “não chorava”. No momento em que a criança sufocava, com a mãe exaurida pelo parto, a equipe policial chegou e resgatou as duas  - que passam bem.  

O resgate da mãe e da criança começou quando os policiais atendiam a outra ocorrência numa rua próxima e foram interpelados por algumas pessoas, informando-os de que perto dali havia uma gestante em trabalho de parto.

Ao chegarem ao local, relatou uma testemunha anônima, os policiais se depararam com a gestante com "muito sangramento" e com o recém-nascido com o cordão umbilical enrolado ao pescoço e preso entre as pernas da mãe.

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/CostaNorteAlerta  📲 Informe-se, denuncie! 🔴

Após a conclusão do parto e desenrolado o cordão umbilical do pescoço da criança, os agentes identificaram que a criança estava com dificuldades para respirar e não chorava. Ao mesmo tempo em que efetuavam os primeiros socorros na criança e não desamparavam a mãe, os agentes saíram em disparada para o hospital de Bertioga. No caminho, os agentes conseguiram expelir secreções que a criança havia engolido, e, com isso, o bebezinho finalmente chorou o choro da sua vida.

Segundo apurou o Portal Costa Norte, mãe e bebê deram entrada no hospital de Bertioga, por volta das 2h da madrugada. Um médico pediatra cortou o cordão umbilical e concluiu os procedimentos de resgate. Mãe e filho passam bem.

A 3ª Cia do 21º Batalhão da PM de Bertioga confirmou a ocorrência, e divulgou o nome dos agentes que salvaram a mulher e a criança, 3* sargento Lobo e Soldado Yamauti. As circunstâncias que levaram a mãe a dar à luz em desamparo ainda são desconhecidas.