Arquivo 19/05/2018--57

Redação
Publicado em 18/05/2018, às 21h00 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h30

FacebookTwitterWhatsApp

Bertioga 27 anos Edição especial de emancipação 57 Inaugurada em 1910, entre o rio Itapanhaú e as montanhas de 730 metros de altura da Serra do Mar, em área adquirida da antiga Fa- zenda Pelaes, a Usina Hidrelétrica de Itatinga e a Vila de Itatinga já foram grandes atrativos do turismo de Bertioga, até 2012. Há expectativa de que a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), sua proprietária, concorde em reabrir esse patrimônio histórico à visitação, o que vem sendo tentado por vários canais políticos. A usina continua ativa, e abastece o porto de Santos, mas, hoje, poucos moradores habitam a vila, que só recebe visitantes na fes- ta de aniversário do Itatinga Futebol Clube, em 7 de setembro. É encantadora a atmosfera criada pela arquitetura inglesa na vila composta por 70 casas, distribuídas em uma única rua, na qual também funcionavam escola, posto médico, padaria, cinema e teatro, além da graciosa ca- pela Nossa Senhora da Conceição. Chegar lá já é um passeio, que começa no portinho de Ita - tinga, no rio Itapanhaú, no fim da rua Manoel Gajo, a bordo de um barco que deixa os pas - sageiros em outro portinho, na margem opos- ta do rio. Lá, embarca-se em um bonde que percorre, em meia hora, os 7,5 quilômetros da via férrea até a vila. E depois segue até a usina onde é processada a água do rio Itatinga, que brota no alto da montanha. O núcleo residencial, com casas, empório, posto médico, escola, áreas de lazer e igreja, foi criado para abrigar os funcionários e seus familiares, devido às dificuldades de acesso ao local

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!