Arquivo 19/05/2015--94

Redação
Publicado em 18/05/2015, às 21h00 - Atualizado em 23/08/2020, às 17h53

FacebookTwitterWhatsApp

Jornal Costa Norte 19 de maio de 2015 94 História O desenvolvimento atual de Bertioga foi sedimentado com a ajuda de valores e esforos de pioneiros, que deixaram seus legados aos fi- lhos e netos. São histias de vida semelhantes, mas únicas na dificuldade de sobrevivência e adaptação de cada uma. José Nunes Viveiros, o conhecido vice-prefeito Zeca do G, até que foi um privilegiado. Seus avós vieram de Portugal para o Brasil, em 1919. Naquela época, para entrar no país, era necessário uma carta convite; por sorte, seus tios-avós já estavam por aqui. Em 1949, seus pais e avvieram para Bertioga. De início, trabalharam para uma família aqui residente e, posteriormente, compraram um grande terre - no, onde hoje se localiza o bairro Albatroz e, nele, implantaram um bananal. Zeca foi para São Paulo e lá casou e teve dois filhos, mas voltou para trabalhar com uma tia. Tia Maria tinha um bar em Bertioga, no camping Humaitá, e já estava cansada de tra- balhar. Então voltei e o administrei por 16 anos; em 1976, montei o depósito de gás. Ele conta que começou vendendo dois ou trbotijões por dia. Hoje, com dois depósitos (Bertioga e Juquehy - em São Sebastião), 48 funcionários, administrados pelos filhos, deixou de trabalhar no ramo há oito anos. Em 1949, seu aveve uma pensão, pr - Aos formadores da comunidade bertioguense Gente simples, lutadora, persistente, que educou gerões com base em valores passados de pais para filhos Da re

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!