Arquivo 19/05/2015--22

Redação
Publicado em 18/05/2015, às 21h00 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h30

FacebookTwitterWhatsApp

Jornal Costa Norte 19 de maio de 2015 22 Durante os encontros com a comunida- de, uma das demandas de maior destaque foi a questão da habitação. A falta de casas de padrdio, para atender o morador de Bertioga, representou uma das principais re - clamações da população. De acordo com o coordenador do Grupo Gestor Manoel Prieto Alvarez, o Plano Diretor anterior priorizava o adensamento na orla da praia, região na qual o valor dos terrenos é maior. Ele explica: Com isso, somente quem tinha mais poder aquisitivo conseguiu com- prar um vel em Bertioga. Ele ainda revela que, na época, o conceito básico era de um município balneário, com um baixo índice po - pulacional e que atraía muitos turistas. Em virtude da área reduzida para expan- são urbana e a necessidade de oferecer ocu- pação de qualidade, com imóveis a pros acessíveis, a tendência é de que os terrenos sejam mais bem aproveitados, com aumentos da taxa de ocupação e do índice de aprovei- tamento. A nova legislação tende a ser menos restritiva, adequando-se à realidade, mas com foco nas questões de salubridade das edifica- ões e na legislação ambiental. Para o coordenador do Grupo Gestor, a proposta do novo PDDS é menos elitista e voltada à implantação de empreendimen- tos habitacionais de padrão médio, diferente do atual Plano Diretor. A intenção é permitir maior adensamento em locais mais afastados da praia, cujo valor do terreno é menor. “Hoje, em terrenos de 999 metros quadrados, só é permitido construir duas casas geminadas. Não podemos nos dar ao luxo de subutilizar os terrenos dessa forma. É possível construir mais casas, sobrepostas, por exemplo, com qualidade, ocupando melhor o terreno e ofe - recendo imóveis a pros acessíveis. Alvarez acredita que, com a nova legisla- ção que está sendo proposta, a cidade pas- sará por uma transformação positiva. Muitos veis antigos no Centro, atualmente aban- donados, poderão dar lugar a vias casas. Ele explicou: “Hoje, as pessoas precisam de me - nos espaço para morar, além disso, a realida- de ecmica do país é outra. Tenho certeza que sercriado um culo virtuoso de novos negócios naea imobiliária. A nova proposta do PDDS ainda está sendo discutida pelo Grupo Gestor, que vai elaborar uma minuta de projeto de lei a ser apresentada em três audiências públicas e uma conferência para definição final do texto. Sentão o documento ser encaminhado para apreciação do Legisla- tivo municipal. Novo PDDS é voltado à implantação de empreendimentos habitacionais de padrão médio. Intão é permitir maior adensamento em locais mais afastados da praia, cujo valor do terreno é menor Futuro Foto Mar Franz

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!