1511Geral08T01

Redação
Publicado em 12/11/2018, às 12h16 - Atualizado em 23/08/2020, às 17h58

FacebookTwitterWhatsApp

Clorofila premia vencedores do Atitude Ambiental

O tema foi a Vida Debaixo D’Água, inspirado no 14º Objetivo Global para o Desenvolvimento Sustentável da ONU

Vanessa Ortiz

Festa ocorreu na tarde de terça-feira, 13, no Centro de Convivência da Fundação 10 de Agosto

Bertioga

Da redação

A cerimônia de premiação da 26ª edição do Atitude Ambiental foi contagiada pela euforia dos alunos das escolas parceiras do programa Clorofila, realizado pela Sobloco Construtora. A festa ocorreu na tarde de terça-feira, 13, no Centro de Convivência da Fundação 10 de Agosto, na Riviera de São Loureço, em Bertioga, e contou com a apresentação de alguns dos trabalhos elaborados durante o concurso.

Neste ano, os alunos tiveram como tema a Vida Debaixo D’Água, inspirado no 14º Objetivo Global para o Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS), que trata da conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável. A coordenadora do programa, Cristina Peres, disse: “Nós tentamos fazer com que eles se envolvessem com a temática do mar, dos rios, porque moramos em um município absolutamente abundante dessa natureza e é preciso ter um olhar especial para isso”.

A EE Praia de Boraceia ganhou na categoria ensino fundamental II, pela apresentação do coral com os alunos e a montagem de uma sala que projetava imagens do fundo do mar. Já na Emef Professor José Inácio Hora, vencedora do ensino fundamental I, apresentou salas ‘vestidas’ de praias, manguezais e recifes de corais, e cada turma aprendeu sobre temas relacionados à sua sala, sempre guiados por educadores fantasiados com um quepe de marinheiro.

O Colégio Objetivo foi contemplado na categoria ensino médio, com atividades relacionadas à pesca predatória, manguezais e lixo na praia. Os alunos entrevistaram munícipes e elaboraram um projeto para evitar a atividade e coletar o lixo jogado na praia.

Para a bióloga e jurada da edição, Camila Mikie, a escolha dos ganhadores foi muito difícil, pois cada escola apresentou algo especial. “Teve escola que não produziu visualmente, mas produziu uma paródia, uma música, uma poesia que sabíamos que tinha muito significado”. Os critérios utilizados foram envolvimento da comunidade escolar e dos pais; a profundidade dos temas ou do envolvimento das crianças para a elaboração das atividade; e também a geração de resíduos.

A diretora de marketing da Sobloco Beatriz Pereira de Almeida destacou que a construtora acredita e investe na educação dos jovens. “Vimos o comprometimento deles de fazer os trabalhos. Esse professores, diretores e coordenadores são fantásticos e eles levam isso para os alunos com muita seriedade e com muita vontade de ensinar; ficamos muito satisfeitos”.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!