1001Geral10T01

Redação
Publicado em 12/01/2018, às 11h58 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h18

FacebookTwitterWhatsApp

Campanha contra febre amarela inicia em fevereiro

Decisão do Ministério da Saúde amplia a imunização como medida preventiva e emergencial, conforme recomendação e autorização da OMS

Divulgação/Governo SP

Período de vacinação será de 3 a 24 de fevereiro

Região

Da redação

O surgimento de casos de febre amarela em novas regiões motivou o governo federal a ampliar a imunização contra a doença. A campanha será realizada nos estados do Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo, este último entre os dias 3 e 24 de fevereiro. Para esta etapa de imunização, foram selecionadas as regiões prováveis de incidência do vírus, como o litoral paulista. A decisão, aponta o ministro da Saúde Ricardo Barros, foi adotada conforme recomendação e autorização da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em São Paulo, o secretário estadual de Saúde David Uip informou que a imunização será ampliada para todo o estado, mas que não há motivo para pânico. A proposta é aplicar a dose concentrada, com 0,5ml, nas áreas de risco, e fracionada, 0,1 ml, nas demais regiões. A dose padrão da vacina, afirma o ministério, protege uma pessoa por toda a vida, enquanto a dose fracionada protege por pelo menos oito anos. Durante esta etapa da campanha, o estado de São Paulo deve aplicar a dose fracionada em 4,9 milhões de pessoas, e a dose padrão, em 1,4 milhão. O período da campanha, em 52 municípios de São Paulo, será de 3 a 24 de fevereiro, sendo os dias 3 e 24 (sábados) os dias D de mobilização.

A prefeitura de Santos revelou que, nessa semana, será realizada uma reunião entre técnicos das prefeituras da região com representantes do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), quando se detalhará o funcionamento da nova campanha e o esquema de distribuição das doses aos municípios.

Por enquanto, a imunização no litoral paulista continua a ser destinada somente para pessoas que viajarão para áreas endêmicas como as regiões Norte e Centro-Oeste, e algumas partes do Nordeste, Sul e Sudeste, entre elas, o interior de São Paulo. Para tomar a vacina é necessário levar documento de identificação com foto e carteira de vacinação. O viajante precisa estar vacinado com, no mínimo, dez dias de antecedência da data da viagem. A dose não é recomendada para crianças com menos de 6 meses, pessoas com doenças que baixam a imunidade (lúpus, câncer, HIV e outras) ou com mais de 60 anos de idade, gestantes, mulheres que amamentam e alérgicos a gelatina e ovo. Para estes grupos, a vacina somente é aplicada quando há prescrição médica. Em todo o estado de São Paulo foram confirmados 27 casos de febre amarela desde janeiro de 2017 e 12 mortes pela doença.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!