Para algumas pessoas, os sons normais do dia a dia, como secador de cabelo, aspirador de pó, latido de cachorro e risadas chegam a ser insuportáveis. Tão altos que doem.

Provavelmente esta pessoa tem uma sensibilidade anormal a sons, o que resulta em dor, desconforto, frustração e até o terror daquele som. Essa sensibilidade é conhecida como hiperacusia. 

A palavra hiperacusia significa “muita audição” ou “audição excessiva”. Isso não quer dizer que essa pessoa escuta melhor que a outra. A audição é normal, porém há uma redução na tolerância aos sons.

A hiperacusia é uma entre várias reações incomuns ao ruído. Algumas pessoas são diagnosticadas com "sensibilidade ao ruído", isto é, mesmo que o som não esteja muito alto, esses indivíduos podem sentir dores de cabeça ou cansaço, devido ao ambiente barulhento. 

No entanto, algumas pessoas com hiperacusia também desenvolvem uma aversão extrema a um ruído específico, como mastigar. Esse problema é conhecido como "misofonia". E outras apresentam a "fonofobia", que é um medo extremo de som alto.

A causa da hiperacusia pode estar relacionada à superexposição a ruídos altos, lesão na cabeça, genética, estresse, infecção viral, medicamentos, além de doenças como depressão, transtorno de estresse pós-traumático, transtorno da articulação temporomandibular, doença de Lyme, enxaquecas, síndrome de Meniere e transtorno do espectro do autismo.

Para diagnosticar a hiperacusia é necessário realizar uma avaliação médica para identificar ou descartar doenças que possam ter causado esse sintoma, bem como a realização de testes para saber o nível de desconforto do ruído. No caso de uma perda auditiva, juntamente com a hiperacusia, um aparelho auditivo pode ser programado especificamente para ajudá-lo.

Se você apresenta algum desconforto aos sons, procure a ajuda de um especialista e melhore sua qualidade de vida.