Sem dúvida alguma a declaração do imposto de renda é sempre um tema que gera preocupações, assim como descobrir o melhor fundo de previdência privada. Afinal, prestar contas ao leão envolve uma série de cálculos, os quais precisam ser feitos com muita atenção para que não surjam preocupações posteriores e nem que você pague uma multa por declarar algo a menos.

Além disso, o sistema de declaração de imposto de renda está sempre em transformação, assim como as suas regras. Nesse sentido, é de extrema importância buscar entender o que mudou, para não deixar nenhum detalhe importante para trás e evitar ser pego pela malha fina.

Sabendo disso, aqui neste artigo apresentamos tudo que você precisa saber sobre a declaração do imposto de renda de 2021 e o que mudou em relação aos anos anteriores. 

Desse modo, não será difícil agilizar esse processo e resolver suas contas o quanto antes. Ficou curioso para saber mais? Continue acompanhando e descubra mais detalhes! 

O que é a declaração do imposto de renda?

O imposto de renda ou simplesmente IR nada mais é do que uma tributação estabelecida pelo governo para pessoas que possuem renda anual acima de determinado valor, que atualmente é de R$ 1.903,98.

Ele funciona como um ativo utilizado pelo Estado para distribuição de renda ao redor do país, bem como mais uma estratégia para proporcionar um giro na economia e uma forma de arrecadação para o Governo Federal.

A declaração, por sua vez, se trata de um documento que detalha todos valores recebidos e gastos pelo indivíduo ao longo do último ano. 

É através dessa declaração que o governo investiga e entende se as movimentações financeiras realizadas pelo cidadão foram legítimas e estão dentro dos limites legais estabelecidos.

Nesse sentido, fica evidente que esconder valores da declaração de imposto de renda definitivamente não é uma boa opção. Afinal, qualquer exclusão de gasto ou recebível pode cair na famosa “malha fina”, gerando investigações intensas, bem como problemas com a justiça brasileira. 

IRPF e IRPJ

Dentro do Imposto de Renda existem duas categorias principais que devem ser levadas em consideração. Elas diferem principalmente em seu público, sendo direcionadas para cidadãos diferentes. Acompanhe suas diferenças:

IFPR 

O IFPR ou declaração de imposto de renda para pessoa física é, como o próprio nome indica, para aqueles cidadãos que declararão seus gastos e rendimentos utilizando seu próprio CPF. 

IRPJ

Já o IRPJ ou imposto de renda para pessoa jurídica é voltado para aquelas pessoas que possuem seu próprio negócio e trabalham como empresários. Ou seja, indivíduos que possuem uma maior receita financeira advinda de suas próprias empresas que possuem o cadastro de pessoa jurídica ativo no mercado. 

Vale ressaltar que em alguns casos, mesmo que o cidadão não possua a renda mínima indicada pelo governo, ele precisa declarar seu imposto de renda caso tenha um CNPJ. 

Um exemplo disso é microempreendedor individual (MEI), que deve fazer a declaração do IR a partir do momento que dá início em suas atividades comerciais. 

Quem precisa declarar o imposto de renda em 2021?

  Como citamos anteriormente, a declaração do imposto de renda não é obrigatória para todos os cidadãos. É necessário atender a uma série de requisitos antes de começar a prestar contas ao leão. Os principais são:   Todo e qualquer trabalhador brasileiro que possuir renda anual acima de 28.559,70 reais; Trabalhadores rurais que possuírem receita anual acima de 142.798,50 reais; Cidadãos que até 31 de dezembro de 2020 tenham adquirido qualquer tipo de prioridade com valor igual ou maior que 300.000 reais; Pessoas que obtiveram ganhos de capital por meio de alienação de direitos e bens; Cidadãos que realizaram qualquer tipo de operação na bolsa de valores ou em outros mercados futuros, independentemente do valor; Imigrantes que oficializaram a residência no Brasil no último ano. 

Quando começar a organizar a declaração do imposto de renda para 2021?

Quem já está acostumado a declarar o imposto de renda não costuma ter muitos problemas na hora de organizar o documento.

Afinal, o processo é bem parecido todos os anos, com poucas mudanças em seu formato base. No entanto, quem nunca fez sua declaração pode encontrar um pouco de dificuldade na elaboração da carta.

No ano de 2021 a declaração deverá ser entregue entre do dia 2 de março até o dia 30 de abril. Sendo assim, ainda tem alguns meses pela frente para organizar as contas e garantir a regularidade com a lei. 

Uma boa dica para quem acredita que terá muitas dificuldades na hora de prestar contas é realizar a contratação de um contador. 

Existem diversos profissionais da área que realizam esse serviço por preços bem acessíveis, justamente para quem ainda não possui experiência em declarar o IRPF ou o IRPJ. 

Além disso, também é bacana já começar a reunir comprovantes de alguns dos principais gastos realizados durante o ano. Com isso é possível abater um maior valor nos rendimentos, diminuindo a tributação a ser paga.