Uma jovem de 25 anos, que alega ter sustentado seu companheiro durante seis anos, deu um basta na situação e acabou vivendo momentos de terror que atingiram seu ápice na última terça-feira (8) em Ubatuba, Litoral Norte de SP.

Após se recusar a continuar sustentando o companheiro, a mulher foi perseguida, ameaçada de morte e teve diversos pertences destruídos pelo companheiro. Na última quarta-feira, a mulher procurou a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Ubatuba e pediu proteção policial.

À polícia, a jovem contou que vivia uma união estável desde os 19 anos com o companheiro, atualmente com 28 anos. Ambos viviam em um apartamento no bairro Marafunda. 

Clique e faça parte do nosso grupo no WhatsApphttp://bit.ly/Costanorteinforma3 & receba matérias exclusivas. Fique bem informado! 📲

Apesar do companheiro não usar drogas e nem beber,  a mulher afirmou  que eles sempre brigavam, em razão da agressividade do companheiro e também pelo fato de ele não gostar de trabalhar. A mulher afirmou que sempre foi ela quem bancou as despesas da casa.

Escalada abusiva

Com o passar do tempo, afirmou a vítima, ela foi perdendo a afeição pelo companheiro avesso ao trabalho e passou a comunicar que a união não estava dando certo, e que seria bom que cada um seguisse seu caminho.

Depois disso, porém, o comportamento do homem piorou ainda mais. Inicialmente, além de se recusar a trabalhar, o homem também passou a se recusar a sair do imóvel, mesmo com o desejo de separação expresso pela mulher.

Há cerca de três meses, a jovem passou a ser mais enfática em seu desejo de se separar e passou, quase que diariamente, a pedir que o homem fosse embora.

Neste período, ressaltou ela, ambos já nem dormiam no mesmo quarto. Mesmo assim, o homem se recusava a trabalhar e a ir embora e, com a insistência da companheira, passou a ser mais arrojado em suas agressões.

Depois de um tempo, o homem disse que iria embora, mas que levaria todos os móveis da casa. Mesmo tendo comprado a maioria dos objetos, a jovem não se opôs. O homem, então, começou a desmontar os móveis da casa. Mas não foi embora.

Cada dia mais audacioso, o gigolô de Ubatuba passou também a implicar com a vítima. Mesmo sendo ela quem comprava os mantimentos, pagava luz e internet, ele começou a privá-la de tudo isso. O homem também passou a não deixar que a companheira utilizasse a máquina de lavar.

Perseguição e ameaças de morte: "Hoje eu vou te matar"

A mulher afirma que, com o companheiro tornando-se cada vez mais violento, passou a viver com medo dele e começou a trancar-se no quarto com a filha dela de um relacionamento anterior, mas mesmo assim ele achava um jeito de atormentá-la.

Nesta terça-feira, a situação começou, segundo ela, a adquirir contornos assustadores. Após sair do trabalho, a jovem percebeu que o marido estava novamente seguindo ela.

Ao perceber que havia sido visto, o homem afirmou à esposa: “Vou te acompanhar até em casa, porque lá, hoje, eu vou te matar”. Amedrontada, a mulher pediu ajuda para um transeunte,  que afirmou não poder fazer nada. Em seguida, o marido, perseguindo a mulher na rua, tentou tomar seu aparelho celular.  

A mulher afirmou que a bicicleta do companheiro não está em boas condições, então ela conseguiu pedalar super rápido chegando até o calçadão do Centro de Ubatuba, onde sua irmã a esperava. Chegando lá, policiais que estavam na base orientaram a mulher a procurar a Delegacia de Defesa da Mulher.

Antes de ir à Delegacia, porém, a mulher foi com sua irmã e mais uma amiga até seu apartamento pegar seus pertences. Ao chegar, o marido dela estava no local e, na frente das duas acompanhantes da esposa, afirmou: "Entre e veja o que eu fiz com suas coisas. Agora eu vou te matar”.

Apavoradas, as mulheres pediram socorro a um parente que mora próximo, que correu até o local e conteve o marido violento. Ao entrar no apartamento, a mulher se deparou com uma cena de destruição.  O marido dela havia arrombado a porta do quarto e rasgado com uma faca a cama onde ela dormia com a filha. O homem também destruiu as roupas da mulher, além de móveis e eletrodomésticos que ela havia comprado

O parente que foi socorrer a mulher, então, obrigou o marido a sair do imóvel, o que ele fez sem reclamar, levando pertences pessoais. A mulher acredita que o homem foi para casa de parentes dele.

O caso foi registrado na DDM de Ubatuba como violência doméstica, ameaça, perseguição e dano ao patrimônio em desfavor do companheiro da mulher. A polícia de Ubatuba investiga o caso.