RARO ENCONTRO

Turista encontra 'besouro gigante', raramente avistado no litoral de SP

Estudante de medicina veterinária passeava em São Sebastião quando encontrou um Macrodontia Cervicornis, espécime do segundo maior besouro do mundo extremamente raro no litoral de São Paulo

Da redação
12/10/2021 às 11:29.
Atualizado em 12/10/2021 às 11:50
Estudante de medicina veterinária se espantou ao encontrar segundo maior besouro do mundo no litoral norte. "Maior besouro que já vi" (Imagem: acervo pessoal / Nycolas Lagareiro)

Estudante de medicina veterinária se espantou ao encontrar segundo maior besouro do mundo no litoral norte. "Maior besouro que já vi" (Imagem: acervo pessoal / Nycolas Lagareiro)

Um inseto raramente avistado no litoral paulista foi registrado por um turista de São Paulo em visita a São Sebastião, na manhã desta segunda-feira (11).

O animal, um exemplar de Macrodontia Cervicornis, é popularmente conhecido como besouro serra-pau (alcunha que abrange milhares de espécies de besouros). Entre os besouros, o Macrodontia Cervicornis só é menor que Titanus Gigantescus, maior espécie de besouro do mundo.

O estudante de medicina veterinária Nycolas Lagareiro, de 21 anos, afirma que caminhava nas proximidades da praia de Juquehy com seu pai, quando, por acaso, foi surpreendido pelo animal.

Faça parte do nosso grupo no WhatsApp ➤ http://bit.ly/CNnoticiasdolitoral2 E receba matérias exclusivas. Fique bem informado! 📲

“Estávamos procurando vaga para ir até às praias, quando olhei em um muro de uma casa. Eu, desde criança gosto de insetos, [então] já conhecia essa espécie, pois os coleópteros são minha paixão”, afirma.

Mesmo conhecendo a espécie, Nycolas confessa que o tamanho do besouro chamou sua atenção. “Quando vi esse besouro me impressionei. O inseto era muito grande. Sem dúvida o maior besouro que eu já vi. Não cheguei a medir, mas eu chutaria uns 12 ou 13 centímetros. Fiquei extremamente espantado”, relembra.

Espécie é comercializada ilegalmente e, segundo biólogos, é ameaçada de extinção (Imagem: acervo pessoal / Nycolas Lagareiro)

Após o raro avistamento, Nycolas afirma que fotografou o animal e o devolveu a uma área de mata na região da praia de Juquehy.

“Fiz algumas fotos, peguei o animal e fui até uma mata próxima. Entrei na mata e o deixei em um tronco de árvore. Eu não sei se vou ver outro tão brevemente, infelizmente”, lamenta o estudante.

Biólogos consultados pelo Sistema Costa Norte afirmam que o besouro é uma fêmea de Macrodontia Cervicornis, espécie classificada como ameaçada

Além da região amazônica, a espécie também pode ser encontrada em fragmentos da mata atlântica, onde são extremamente raros. Segundo informações, o último registro do animal no Rio de Janeiro se deu há aproximadamente dez anos.

A espécie não é venenosa. Além do tamanho, o besouro possui grandes pinças e suporta até sete vezes o próprio peso. Com uma série de formas irregulares que lembram desenhos tribais em sua cascadura, o Macrodontia Cervicornis é uma espécie visada por colecionadores e comercializada legal e ilegalmente no mercado paralelo de insetos. 

  

O Sistema Costa Norte de Comunicação atua no litoral paulista há mais de vinte anos levando informação a toda a população com seriedade e imparcialidade

Entre em contato:

Reclamações ou sugestões:

redacao@costanorte.com.br

Comercial e parcerias:

contato@costanorte.com.br

© 2021 Todos Os Direitos Reservados Ao Sistema Costa Norte de Comunicação

Desenvolvido por

Distribuído por