Após mais de 10 anos de ostracismo, o Teatro ‘Rosinha Mastrangelo’, em Santos, no litoral paulista, passou por uma revitalização. Se antes o teatro já era um dos locais de Santos que mereciam uma visita de moradores e de turistas que estiverem na cidade, agora, após a revitalização, o local merece ainda mais a atenção da população em geral e da classe artística da cidade.

Único teatro de arena da cidade, o ‘Rosinha’ passou por uma reestruturação total dos sistemas e foi entregue revitalizado em dezembro de 2020. Na reforma, o teatro ganhou sistemas hidráulicos e elétricos novinhos em folha.

O espaço também teve renovados os sistemas de climatização, iluminação e sonorização. A acústica do teatro, que já era motivo de elogio por aqueles que o frequentam, também recebeu incrementos. O objetivo da reforma, alegou a prefeitura à época, é oferecer mais conforto e segurança para o público e para os artistas.

A reforma foi custeada numa parceria público privada em que o teatro assinou termos de responsabilidade de implantação de medidas mitigadoras ou compensatórias. Tanto a parte externa quanto a parte interna do teatro também foram revitalizadas.

O Rosinha recebeu novas arquibancadas em seu palco arena, com capacidade para 180 pessoas. O espaço também teve seu piso de concreto desempenado e recebeu um elogiado emadeiramento do palco externo. O teatro municipal totalmente revigorado, de quebra, também renovou o térreo do Centro de Cultura Patrícia Galvão, na Vila Matias.  

O Teatro Rosinha é conhecido na cidade por trazer espetáculos do circuito alternativo, incluindo espetáculos de dança.

Quem foi Rosinha Mastrângelo

A mulher que dá nome ao único teatro de arena de Santos é uma figura notável da cidade que, no início do século XX, se destacou no jornalismo e na rádio dramaturgia.

Rosinha Mastrângelo foi jornalista, radialista e teatróloga santista, ela nasceu em maio de 1911 e, em 1932, foi uma das primeiras mulheres a ingressar na imprensa brasileira, escrevendo no estadão com um pseudônimo. Em 2018 a historiadora Karime Moussalli lançou uma biografia de Rosinha intitulada Rosinha Mastrângelo: nas pistas de uma construtora de sonhos, com o fomento da gestão municipal de Santos.

O livro havia nascido cerca de seis anos antes, quando a biógrafa estudou teatro e teve contato com a história de vida de Rosinha. Karime acabou escrevendo sobre Rosinha também em seu trabalho de conclusão de curso.

Após sair do Estadão, Rosinha ingressou no ramo das radionovelas em 1939, na Rádio Clube de Santos. Na realidade, Rosinha foi uma pioneira das Radionovelas, que marcaram a cultura brasileira na primeira metade do século XX.

Rosinha também teve uma carreira frutífera no teatro, atuando politicamente para desenvolver a dramaturgia da região, sobretudo de Santos. Foi como reconhecimento desta atuação que o teatro localizado no Centro de Cultural Patrícia Galvão leva seu nome.