Parque das Cachoeiras: um banho de frescor e adrenalina em Ilhabela | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Variedades
Cachoeira da Água Branca
Cachoeira da Água Branca Foto: Gabriela Wotzassek

Parque das Cachoeiras: um banho de frescor e adrenalina em Ilhabela

Garantia de momentos inesquecíveis, em meio ao canto dos pássaros e ao som das quedas d’água


21 de janeiro de 2019 às 14:14
Por Marcello Veríssimo
Cachoeira da Água Branca
Cachoeira da Água Branca Foto: Gabriela Wotzassek

Na trilha mais longa do Parque da Água Branca está a Cachoeira do Furado
Na trilha mais longa do Parque da Água Branca está a Cachoeira do Furado Foto: Gabriela Wotzassek

Parque da Água Branca, em Ilhabela
Parque da Água Branca, em Ilhabela Foto: Gabriela Wotzassek

O Parque das Cachoeiras, em Ilhabela,  é um santuário natural. A unidade municipal de conservação ambiental ocupa cerca de 80 hectares na Mata Atlântica.


O  visitante esquece os problemas diários,  passando por momentos inesquecíveis, em meio ao canto dos pássaros e ao som das quedas d’água. Nem a chuva é capaz de diminuir o entusiasmo dos apreciadores do contato direto com a natureza.


Mas, é preciso força de vontade e entusiasmo para vencer os desafios das três trilhas existentes, que passam ao lado das duas grandes cachoeiras, com quase 30 metros de queda, e são inspiradoras do nome do parque. Os trajetos reservam boas surpresas aos mais desavisados – como o cipó rasteiro. O tronco nasce no chão e, como defesa, ‘segura’ o pé de quem pisa nele.

 

Baile das águas

Antes de começar o percurso, que leva quase 2 horas para ser concluído, pode-se conhecer o Viveiro Florestal Aroeira, que conta com cerca de 5 mil mudas e produz mensalmente uma média de 1.500 plantas.


No caminho,  aspectos curiosos como a gruta formada sob uma rocha cujo vão tem o tamanho de um prédio de cinco andares. Nela brotam orquídeas, bromélias e até mandacarus.  


A primeira parada é na cachoeira da Água Branca. Pelo caminho é possível encontrar peças que foram da antiga usina hidrelétrica do município, que está desativada e fica naquela área.


Mas é do alto da queda que é possível notar o ‘baile das águas’, proporcionado pela natureza com vista privilegiada para São Sebastião. É da cachoeira também, que sai boa parte da água que abastece a região norte da ilha, por meio de captação da Sabesp.   


De lá, os guias partem para a chamada Cachoeira  do Furado, pouco menor, mas não menos exuberante que, por causa das chuvas da estação, aumentam em volume de água.


A Cachoeira do Furado tem, em sua extensão, seis espécies de divisórias, onde é possível parar para descansar, admirar o visual ou simplesmente pensar na vida. Ao chegar no topo, quem procura por mais adrenalina, pode praticar rapel, mas, para isso, deve assinar termo de responsabilidade para o caso de algum imprevisto ou acidente.


Dica

O visitante deve trajar bermuda e camisetas leves, além de par de tênis confortável. O repelente também é item de “primeira necessidade”. Já para banhos nas cachoeiras é proibido o uso de xampu ou sabonete. 

 

Bom saber

Durante todo o ano, o Parque das Cachoeiras funciona de segunda a sexta-feira das 8h às 17h. Na temporada de verão abre diariamente, incluindo finais de semana. Visitas podem ser agendadas pelos telefones (12) 3896 3832 / (12) 3896 3757. O endereço: rua José Bonifácio, s/n, Água Branca.

 

 

 

Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral