João Carlos Martins encantou Guarujá com a Orquestra Bachiana | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Variedades
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Foto:

João Carlos Martins encantou Guarujá com a Orquestra Bachiana

Na praia de Pitangueiras, maestro interpretou canções dos Beatles e da banda Queen ao piano


16 de abril de 2018 às 09:38
Por Estela Craveiro
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Clientes do Avelino's acompanham apresentação da varanda do restaurante, ao lado do palco
Clientes do Avelino's acompanham apresentação da varanda do restaurante, ao lado do palco Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras
Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi SP se apresenta na praia de Pitangueiras Foto: JCN

Maestro João Carlos Martins minutos antes de subir ao palco
Maestro João Carlos Martins minutos antes de subir ao palco Foto: JCN

Prefeito Válter Suman momentos antes do início do concerto
Prefeito Válter Suman momentos antes do início do concerto Foto: JCN

Prefeito Válter Suman e seu filho Lucas
Prefeito Válter Suman e seu filho Lucas Foto: JCN

Nem a chuva afastou a plateia da apresentação da Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi São Paulo, sob regência do maestro João Carlos Martins, realizada na noite de sábado, 14, na praia de Pitangueiras, no Guarujá. De fato, o aguaceiro que caiu na cidade desde cedo inviabilizou a apresentação da Banda do Exército, que sairia tocando do edifício Sobre as Ondas, às 18h, em direção à praia. Mas a estiagem por volta das 19h animou o público, que foi chegando aos poucos, e não arredou pé quando começou a chuviscar exatamente no momento em que o espetáculo foi iniciado, às 20h.

Em compensação, sobrou emoção. Após algumas músicas, João Carlos Martins disse à plateia ter especial prazer em tocar no Guarujá, cidade importante para ele, onde passou muito tempo de sua vida. Um ponto alto foi a apresentação do garoto Davi Campolongo, que no filme João, o Maestro, de 2016, interpretou a criança prodígio que ele foi, tocando piano desde os cinco anos de idade. Na época, o pequeno ator nem sabia tocar. Mas se apaixonou pelo piano, começou a estudar e, no sábado, interpretou fragmentos de músicas do compositor clássico Franz Schubert.

Outro ponto alto foi quando Martins, que é um pianista consagrado, mas perdeu o movimento das mãos, modestamente anunciou que iria executar as duas únicas músicas que ainda consegue tocar no piano: Yesterday, lançada pelos Beatles em 1965, e Love of my Life, grande sucesso da banda Queen, de 1975. Arrancou aplausos da multidão.

Mas, de modesto, seu currículo não tem nada. Em 60 anos de carreira, Martins, que tem 77 anos, fez mais de seis mil apresentações e  gravou toda a obra de Bach em 30 discos, além de registrar obras de Mozart, Chopin e Ravel. Impossibilitado de continuar como pianista, foi estudar regência, e estreou como maestro em 2003. Com a Orquestra Bachiana, desde 2004, fez mais de 1.600 concertos. Só em 2017, foram 225.

Orquestrando São Paulo

Há anos envolvido com a formação de jovens músicos em comunidades carentes, como da favela paulistana de Paraisópolis, em entrevista ao Costa Norte, João Carlos Martins demonstrou entusiasmo com o processo de transformação da Banda Musical de Guarujá em orquestra sinfônica, atualmente em curso: “Vamos incluir Guarujá no programa Orquestrando São Paulo. Então estaremos juntos no mesmo projeto e na mesma trajetória”.

Mantido pelo Serviço Social da Indústria (Sesi) e pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), sob comando de Martins, o projeto Orquestrando São Paulo visa a formação e aprimoramento de novos regentes e orquestras. Atualmente conta com 52 orquestras parceiras e deve se transformar no projeto Orquestrando Brasil, com o objetivo de ter mil orquestras e mil maestros.

Paulo Roberto Fiorotto, secretário de Cultura de Guarujá, conta que a Banda Musical de Guarujá foi transformada em orquestra, por decreto do prefeito Válter Suman, em 2017, e agora está em fase de contratação de músicos, que também formarão crianças e jovens, além de atuar com formações e espetáculos menores: “Para que no futuro, em médio e longo prazo, tenhamos uma orquestra mirim e uma orquestra sinfônica com a formação pura e genuína do Guarujá”. Trabalho semelhante será feito com o Coral Municipal de Guarujá. Em breve, crianças e jovens interessados poderão fazer cursos de canto e integrar um coral infanto-juvenil.

O prefeito Válter Suman se disse honrado por receber João Carlos Martins e sua Orquestra Bachiana pela segunda vez, em seu segundo ano à frente da gestão do município: “Guarujá merece o melhor, aquilo de mais brilhante na música, seja clássica ou não”.

Ele está entusiasmado com as iniciativas relativas à orquestra e ao coral do município: “A cultura tem pulsado em nosso mandato, com muitas atividades, shows, espetáculos, feiras e festas. A utilização do teatro Procópio Ferreira superou em quase 100% a média de ocupação anterior. Todos os mecanismos possíveis na cultura, no esporte, no lazer e no turismo são motivos justos para regatar nossa juventude. Não mediremos esforços para tudo que for inclusão”. 

Últimas Notícias