Série de furtos preocupa comerciantes da rua Rafael Costábile | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Segurança
Série de furtos preocupa comerciantes da rua Rafael Costábile | Autor: Thiago Ribeiro/JCN
Região é alvo de furtos diariamente
Região é alvo de furtos diariamente Foto: JCN

Série de furtos preocupa comerciantes da rua Rafael Costábile

Em 10 dias, foram cerca de dez ocorrências entre furtos qualificados e tentativas


14 de fevereiro de 2019 às 17:43
Por Marina Aguiar
Indivíduos em tentativa de furto à Wiki Revistaria e Café
Indivíduos em tentativa de furto à Wiki Revistaria e Café Foto: Enviado via WhatsApp

Indivíduos em tentativa de furto à Wiki Revistaria e Café
Indivíduos em tentativa de furto à Wiki Revistaria e Café Foto: Enviado via WhatsApp

Tentativa de furto na Gil Celulares
Tentativa de furto na Gil Celulares Foto: Enviado via WhatsApp

Tentativa de furto na Gil Celulares
Tentativa de furto na Gil Celulares Foto: Enviado via WhatsApp

Região é alvo de furtos diariamente
Região é alvo de furtos diariamente Foto: JCN

Uma série de furtos na rua Rafael Costábile, no centro de Bertioga, preocupa comerciantes da região. Em dez dias, foram dez ocorrências, entre furtos qualificados e tentativas. O primeiro comércio invadido foi o Galante Tattoo, na madrugada do dia 4 de fevereiro, quatro indivíduos invadiram o estabelecimento e furtaram todos os equipamentos de tatuagem do estúdio. O prejuízo foi estimado em R$ 11 mil.

Ainda no dia 4, um grupo tentou furtar a loja Gil Celulares. Eles conseguiram serrar as grades e forçar a porta, mas foram surpreendidos pelo alarme de segurança. Insistentes, desligaram o disjuntor, mas o alarme funciona com baterias e continuou a tocar, então fugiram. "Estamos todos na mesma área, poderiam melhorar o policiamento aqui", disse Clayton Barros, funcionário da Gil Celulares.

Cinco dias depois, a empresa Bertisom foi invadida e furtada.  A proprietária Ana Paula Cordeiro disse: "Eles entraram na madrugada do dia 9. Não tiveram o trabalho de quebrar o cadeado, serraram a grade toda. Entraram e levaram alguns pertences pessoais, notebook, placa de áudio, equipamentos de áudio caros".

Na mesma noite, os indivíduos tentaram invadir um escritório de advocacia e não conseguiram. A advogada, que preferiu não se identificar, explica: "Não satisfeitos, eles voltaram na madrugada seguinte e conseguiram entrar. Levaram uma televisão, o purificador de água e o meu certificado digital da OAB. Tive muito trabalho para conseguir um novo e continuar a trabalhar".

O barbeiro Ezequiel Mesquita de Souza foi furtado em 7 de janeiro de 2019, mas ainda sente a insegurança no local. "No meu caso, foi um 'noia' que levou minha televisão e trocou por droga. Mas, agora, eles estão agindo premeditadamente, arrombam as portas e levam tudo que tem de valor".

Método

O método de atuação é o mesmo, os indivíduos serram as grades e forçam a porta de vidro para entrar. Disse o empresário e tatuador Flavio Galante: "Eu tive que aprimorar o sistema de segurança e colocar mais câmeras, tomar cuidado com horários de funcionamento. Me sinto mais seguro por causa do aparato de segurança. Mas se perguntar pra 100% dos comerciantes que foram violados, todos estão se perguntando quem será o próximo".

Os empresários acreditam que seja o mesmo grupo nas últimas ocorrências. "Nós filmamos sempre grupos de até quatro pessoas com mochilas e bonés", afirmou Ezequiel que teve a rotina alterada após a onda de crimes. "Todo dia eu tenho que tirar os meus objetos de valor, objetos de trabalho, levar pra casa e trazer de novo".

A principal reclamação do grupo de empresários é a falta de monitoramento. Em 2018, a prefeitura de Bertioga implantou câmeras de monitoramento, que são acessadas pelo Centro Operacional de Imagens de Bertioga (Coibe) 24 horas, mas a câmera mais próxima da região dos furtos fica na avenida Anchieta e não alcança os comércios em questão.

Para driblar os crimes, os empresário se uniram pelo WhatsApp e montaram um grupo para se manterem informados sobre a movimentação no local. Eles compartilham imagens das câmeras de segurança e, de vez em quando, até fazem rondas. O empresário Isaac de Miranda, proprietário da Burgers On Fire, quase não dorme. "Eu vim de São Paulo, já fui assaltado, já fui baleado. A gente vem pra cá achando que vai ter sossego, mas não é bem assim".

A hamburgueria sofreu tentativa de furto na madrugada do dia 13. "Eu coloco o celular pra despertar de uma em uma hora. Nem tem o que roubar, mas só de entrarem na nossa casa, como considero, fico triste. É difícil", desabafou.

A maioria dos furtados fez boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia de Bertioga.

Poder público

A prefeitura de Bertioga informou que um pedido de ampliação da quantidade de câmeras está em andamento, mas que será necessário reestruturar a central de monitoramento para isso, o que deve ser feito no segundo semestre de 2019. Atualmente, a central recebe imagens de 200 câmeras.

Também afirmou que não encontrou registros dos furtos no sistema e solicitou que as vítimas façam o boletim de ocorrência. A prefeitura ainda afirmou que cabe aos proprietários o investimento na prevenção primária, como alarmes, câmeras e ofendículos. O delegado titular de Bertioga Wanderley Mange disse, por telefone, que nenhum boletim de ocorrência é arquivado e todos os casos seguem em investigação.

Já o comandante da Polícia Militar, capitão Silva Júnior, também por telefone, solicitou às vítimas que encaminhem os vídeos dos meliantes, para que a PM amplie as buscas pelos autores.

Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral