Vereadores querem suspensão de pedágios da Tamoios | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Política
Foto: Reginaldo Pupo

Vereadores querem suspensão de pedágios da Tamoios

Proposta da Frente Parlamentar do Litoral Norte é para o período de obras dos contornos norte e sul da rodovia


22 de março de 2019 às 11:27
Por Reginaldo Pupo

Vereadores que integram a Frente Parlamentar do Litoral Norte pedirão, ao governo do estado, a suspensão da cobrança dos dois pedágios da rodovia dos Tamoios, principal acesso entre o planalto e a região, até que as obras dos contornos sul e norte sejam concluídas.


A reivindicação foi divulgada na reunião do membros da Frente, na última quarta-feira, 20, em Ubatuba. Durante o encontro, os parlamentares criticaram a Concessionária Tamoios, que administra a rodovia, por causa dos transtornos causados pelas obras de duplicação, e que provocam  alagamentos em bairros de Caraguatatuba e prejuízos às quatro cidades da região, com as frequentes interdições por quedas de barreiras.


O vereador Claudnei Xavier (PSDB), de Ubatuba, disse que poderá ocorrer um caos na região, caso ocorra a coincidência de também haver interdições nas outras duas rodovias que dão acesso ao litoral norte, a Mogi-Bertioga e a Oswaldo Cruz, utilizadas como alternativas quando a Tamoios está bloqueada. Disse ele: “Com isso, o litoral norte ficará isolado do resto do estado, com prejuízo para transporte de doentes, de estudantes e dos usuários em geral”.


Os vereadores decidiram agendar reunião com a Comissão de Transporte da Assembleia Legislativa, para rever prazos, novas regras e contratos, cobrar saídas da duplicação, nos contornos e vias de acesso para São Sebastião e Ubatuba. Entre as cobranças estará a suspensão dos pedágios.


A Frente Parlamentar disse estar preocupada com informações, ainda não confirmadas, de que a Dersa teria cancelado contratos com a empresa Queiroz Galvão, responsável pelas obras de duplicação da Tamoios. A preocupação ganha força com a cogitação do governador João Doria de privatizar ou extinguir a estatal até o final deste ano.


Nanci Peres Zanato (PPS), de Ilhabela, disse: “Isso é preocupante, fico assustada agora. Se sair a Queiroz Galvão, vai parar tudo. As obras do contorno já estariam todas paradas criando problemas de acesso à rodovia”. O vereador Francisco Carlos Marcelino (PPS), de Caraguatatuba, disse que, “nos 38 anos que moro na cidade, nunca tivemos tantos problemas como agora, com quedas de barreiras e consequente interdição. Temos que tomar providências com urgência quanto a isso”.


Já Diogo Nascimento (Patriota), de São Sebastião, foi enfático ao dizer que “há que pedir perícia nessas obras, discutir plano hidro e geológico. A situação está insustentável. Então, que se suspenda a cobrança de pedágio. Pedágio eles sabem cobrar e continuam gerando prejuízos para a população”


Foi registrado em ata que a Frente Parlamentar e os quatro presidentes de Câmaras vão agendar reunião com urgência com a Comissão de Transporte da Assembleia Legislativa do Estado, para discutir a questão, “rever prazos, novas regras e contratos, cobrar saídas nessa duplicação, nos contornos e vias de acesso para São Sebastião e Ubatuba”. 


A reportagem cobrou um posicionamento da Concessionária Tamoios, na tarde de quarta-feira, 20, mas até o fechamento desta edição não obteve retorno.

Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral