Vereadores de Bertioga denunciam descumprimento de leis e contratos | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Política
Vereador Matheus Rodrigues expôs má alimentação no abrigo de menores e, com Ney Lyra, falta de pagamento de adicional de insalubridade para agentes de saúde
Vereador Matheus Rodrigues expôs má alimentação no abrigo de menores e, com Ney Lyra, falta de pagamento de adicional de insalubridade para agentes de saúde Foto: Estela Craveiro/JCN

Vereadores de Bertioga denunciam descumprimento de leis e contratos

Toda semana, pululam na Câmara Municipal solicitações para que prefeitura, órgãos e empresas cumpram obrigações legalmente previstas


14 de junho de 2018 às 17:10
Por Estela Craveiro

Duas cebolas. Foi o que o vereador Matheus Rodrigues (DEM) encontrou ao abrir a geladeira do Serviço de Acolhimento Institucional de Bertioga, o antigo abrigo de menores, como é conhecido, no qual ficam crianças e adolescentes, com idades de seis meses a 18 anos incompletos, vítimas de abandono ou violência familiar. A visita ocorreu na semana passada, conforme relatou na sessão da Câmara Municipal da terça-feira, 12. Na dispensa, ele encontrou feijão, arroz e macarrão. Mas, de legumes, verduras, frutas,  leite, carne e ovos, nem sinal.

Acontece que a Associação de Desenvolvimento Econômico e Social às Famílias (Adesaf), Organização da Sociedade Civil de Interesse público (Oscip) de São Vicente, é paga pelos cofres municipais, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda, para manter esse serviço e também a Casa de Passagem, o antigo Albergue Municipal.

Chama a atenção a predominância, nas sessões do Legislativo, de indicações de vereadores para que a prefeitura, órgãos e empresas façam o que deveriam fazer, em vista de legislação, obrigações, acordos e contratos assinados. Mas não estão fazendo. No plenário da Câmara Municipal bertioguense, em toda sessão jorram vazamentos de esgoto, sobram enchentes, e o que mais aparece são valas entupidas em bairros sem redes de água pluvial, entre outras coisas surpreendentes.

Por exemplo, na sessão de 12 de junho, além de obter aprovação para indicação na qual pede  à prefeitura que atente para a alimentação das crianças abrigadas, Matheus Rodrigues também teve aprovada outra indicação, feita em conjunto com Ney Lyra (PSDB), presidente da Câmara Municipal, para que a Secretaria de Administração e Finanças pague o adicional por insalubridade aos agentes de saúde e combate a endemias contratados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), como manda a legislação trabalhista brasileira.

Na mesma sessão, o vereador Carlos Ticianelli (PSDB) teve aprovada indicação ao Executivo pela qual pede a desobstrução da galeria de águas pluviais na avenida principal do Jardim Vicente de Carvalho, que transborda quando chove. O vereador Silvio Magalhães (PSB) solicitou a ele que agregasse pedido para resolver a questão do esgoto no fundo do bairro, que escorre para o rio Itapanhaú.

Uma indicação de Eduardo Pereira (SD) pede que a estrada 12, no bairro Chácaras, seja nivelada e aterrada. “Não é só tirar sujeira das valas”, ele detalhou. Para completar, Ney Lyra pediu manutenção para a rua B, do Jardim Ana Paula, cheia de poças d’água e buracos, e limpeza, aterro e nivelamento da estrada 7, no bairro Chácaras, que está tomada por mato e buracos. E o vereador Biró (PTB) apresentou indicação para que a Elektro substitua postes com ferragens expostas na avenida 19 de Maio e em Boraceia.

Últimas Notícias