Proposta de praia para cães provoca debate na Câmara de Bertioga | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Política
Vereador Ivan de Carvalho explica aspectos positivos da criação de uma praia para cães em Bertioga
Vereador Ivan de Carvalho explica aspectos positivos da criação de uma praia para cães em Bertioga Foto: JCN

Proposta de praia para cães provoca debate na Câmara de Bertioga

Sessão semanal foi protagonizada por indicações ao Executivo, na maioria, subscritas por todos os vereadores


20 de abril de 2018 às 16:28
Por Estela Craveiro

Sem projetos de lei para votar na ordem do dia, predominaram as indicações dos vereadores na atividade semanal do Legislativo bertioguense em plenário. Praticamente, todas as indicações feitas ao Executivo na sessão foram subscritas por todos os edis. Mas a indicação do vereador Ivan de Carvalho (PSD), para a criação de uma praia para cães, na faixa de areia que surge no canal de Bertioga, na maré baixa, provocou debate. De olho no mercado pet, que movimenta, segundo apurou, US$ 17 milhões por ano no Brasil, sua ideia é tornar a cidade conhecida por esta disponibilidade.

Mas o vereador Dr. Arnaldo (PV) questionou e pediu estudo: “Vereadores e prefeitos podem querer colocar muitas coisas em leis, só precisa ver se pode”. Assim, o setor jurídico da casa deve verificar se haveria conflito da proposta com a legislação  vigente, e, só depois, a indicação deverá ser votada.

A vereadora Valéria Bento (MDB) reivindicou providências da Secretaria de Educação, para que os alunos da rede municipal de ensino recebam uniformes e materiais escolares. E pediu a instalação de redutores de velocidade em cruzamentos da avenida João Ramalho com diversas transversais, recentemente asfaltas, que se tornaram palco para constantes acidentes automobilísticos. O vereador Matheus Rodrigues (DEM) sugeriu a criação de minirrotatórias para alguns desses locais, a exemplo da que existe na confluência das avenidas Anchieta e Vicente de Carvalho, na Vila.

O vereador Carlos Ticianelli (PSDB), líder do governo na Câmara, foi o campeão da noite, com cinco indicações: para instalar bebedouros na pista de skate da praia da Enseada e na Vila; para autuar proprietários de terrenos abandonados, cheios de mato, sem muro e sem calçada; para substituir ripas de plástico que estão se soltando do piso no calçadão da praia da Enseada; para reinstalação de bloqueios, pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), no cruzamento da rua Manoel Gajo com a rodovia Rio-Santos, mas que sejam fixos, j´que os móveis já foram colocados duas vezes e retirados pelos transeuntes locais.

Ele solicitou ainda a instalação de grandes coletores de lixo no fim das ruas Projetada 1 e B1, do Jardim Vicente de Carvalho, por causa do acúmulo de detritos nos locais, a despeito de os caminhões da coleta de lixo passarem por lá diariamente. O assunto teve a intervenção de praticamente todos os vereadores, pedindo à população que colabore, colocando lixeiras externas em suas calçadas ou colocando o lixo na rua em horários próximos da passagem dos caminhões.

O vereador Eduardo Pereira (SD), vice-presidente da Câmara, causou espanto com uma moção de apoio a ser encaminhada ao governador Márcio França, pedindo a equiparação dos salários de segundo-tenente e de primeiro-tenente da Polícia Militar, com 30% de diferença entre eles. Mas, ele explicou que a moção é um pleito dos policiais de Bertioga, que está sendo feita em diversas câmaras municipais do estado de São Paulo, e obteve a subscrição dos demais vereadores. Também causou espanto a indicação que ele fez a seguir: para a prefeitura parar de fazer aterros com a lama que retira das valas dos bairros nos quais não há saneamento básico.

Ney Lyra (PSDB), presidente da Câmara, indicou à prefeitura a contratação da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), para auxílio no processo de regularização fundiária, em serviços como georreferenciamento, topografia e coleta de dados. Ele também abordou dificuldades com fornecimento de água e de eletricidade enfrentados por moradores de áreas irregulares do bairro Chácaras. Na semana passada, eles tiveram problemas com o corte de água pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), e, recentemente, também com detenções pela polícia, por causa de ligações irregulares de energia elétrica. A solução depende da regularização fundiária do local.

Últimas Notícias