Ministro lança Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Geral
Foto: Reginaldo Pupo

Ministro lança Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar

Ações foram lançadas nos municípios de Santos e Ilhabela


23 de março de 2019 às 09:43
Por Reginaldo Pupo
Foto: Reginaldo Pupo

Foto: Reginaldo Pupo

Em comemoração ao Dia Mundial da Água, celebrado nesta sexta-feira, 22, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles esteve em Santos e Ilhabela para participar de  ações direcionadas à prevenção e combate ao lixo no mar e o lançamento oficial do Plano de Ação Nacional de Combate ao Lixo no Mar.


Na parte da manhã, o ministro esteve em Santos, na praia do Gonzaga, onde participou das ações integrantes de um convênio, assinado há um ano, com a ABRELPE e outras entidades. O objetivo é dar assistência aos municípios para identificar os pontos de poluição das águas e promover o aprimoramento da gestão de resíduos sólidos em terra, como forma de prevenir o lixo no mar.


O ministro entende que a poluição dos mangues pode ser explicada pela ocupação irregular de áreas. Ele disse: “Os órgãos públicos de diversas partes do Brasil permitem a ocupação irregular dessas áreas. Os órgãos estaduais, por muitas vezes e por diversos motivos, não apoiam as políticas municipais, e a legislação de uso de áreas de mananciais é muito rigorosa, acaba jogando as pessoas para a ilegalidade [de ocupação]. É um problema de legislação e fiscalização”.


Ainda em Santos, ele inaugurou uma escultura de tubarão-baleia, do artista Siron Franco, com 15 metros de comprimento, que acondicionará lixo proveniente do mar e participou de uma ação de limpeza no mangue do bairro São Manoel. 


Na parte da tarde, em Ilhabela, além de lançar o Plano de Ação Nacional de Combate ao Lixo no Mar, na praça das Bandeiras, na Vila, o ministro fez uma coleta de água com a Cetesb - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo -, simbolizando a intenção de viabilizar parceria entre o município e o órgão do estado.


Em seu pronunciamento,  ele voltou a falar sobre o desafio das áreas urbanas e que em Ilhabela é necessário o investimento em saneamento. Ele destacou que "este é um momento de ação" e disse que é necessário o engajamento da sociedade. O ministro ainda citou que Ilhabela tem muito dinheiro, proveniente de royalties de petróleo, "mais de R$ 800 milhões" e afirmou que não há desculpas para não fazer. 


O Plano convoca toda a sociedade a participar da solução da problemática do lixo marinho, considerando que o êxito das ações planejadas ocorre pelo engajamento de todos os setores envolvidos nessa temática. A iniciativa, que destaca pesquisa e a educação para a redução e erradicação do fluxo de resíduos no ambiente marinho, abre o programa Agenda de Qualidade Ambiental Urbana, que abrange uma estrutura de implementação com seis grandes temas identificados pelo Ministério como prioritários a ser trabalhados, na busca da melhoria da qualidade de vida da população brasileira.

 

Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral