Nova sede da DDM de Guarujá aprimora acolhimento para mulher vitimizada | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Geral
Foto: Mayumi Kitamura

Nova sede da DDM de Guarujá aprimora acolhimento para mulher vitimizada

Transição para o novo espaço ocorre nesta sexta-feira, por isso, atendimentos devem iniciar a partir de segunda-feira, 11


08 de março de 2019 às 15:45
Por Mayumi Kitamura
Foto: Mayumi Kitamura

Foto: Mayumi Kitamura

Foto: Mayumi Kitamura

Foto: Mayumi Kitamura

Foto: Mayumi Kitamura

Foto: Mayumi Kitamura

Foto: Mayumi Kitamura

A mulher vitimizada contará, a partir de segunda-feira, 11, com um atendimento diferenciado e acolhedor em Guarujá. No Dia da Mulher, 8 de março, foi inaugurada a nova sede da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Guarujá. Em um imóvel térreo, climatizado e com acessibilidade, localizado na rua Washington, 227, na Vila Maia, as vítimas serão acolhidas, inicialmente, pelo atendimento especializado de uma assistente social. Além disso, há uma sala especial para crianças e adolescentes vítimas de violência.

A delegada titular da DDM, Maria Aparecida Vianna Scanavacca comentou a mudança, proporcionada graças a uma parceria com a prefeitura de Guarujá. Disse ela: "A Delegacia da Mulher saiu dos fundos da Delegacia Sede de Guarujá e está em um prédio próprio agora. Foi um presente da prefeitura [por meio do Fundo Social de Solidariedade], que reformou o prédio e está inaugurando a delegacia em parceria com a Polícia Civil. Aqui, as mulheres terão todo o atendimento de Polícia Judiciária, que já era feito na Delegacia da Mulher, e também vão contar com acolhimento, que é um serviço que a prefeitura está trazendo para dentro da delegacia".

Maria Scanavacca explica que, desde o ano passado, buscava parcerias para um novo espaço e, a primeira-dama de Guarujá Edna Suman sensibilizou-se com a situação da delegacia e iniciou o processo de mudança para outro imóvel, por meio do Fundo Social de Solidariedade (FSS) de Guarujá. 

A primeira-dama ressaltou que a segurança da mulher é um dever do estado, mas as vítimas são do município, por isso, não pode ficar alheio a essa realidade: "A sede antiga era muito deprimente, um lugar que não tinha respeito com as mulheres, digamos assim, faltava dignidade. Aqui, não, aqui poderemos fazer cumprir a Lei Maria da Penha na sua íntegra, ficou uma delegacia pronta, perfeita tanto para a mulher quanto para a criança vitimizada". Edna destaca que o espaço também conta com acolhimento para a família, já que, quando ocorre violência contra a mulher ou criança, toda a família é afetada. 

Para obter o espaço, Edna Suman solicitou ao prefeito a possibilidade de um prédio para abrigar a DDM, por isso, a nova sede ocupa o antigo local em que funcionava a Escola de Governo de Guarujá. Após tratativas e parcerias, o imóvel foi totalmente adequado para o atendimento especializado, com a anuência do proprietário. 

A Delegacia da Mulher visa assegurar o combate à violência contra as mulheres, com atendimento policial especializado, além de proporcionar tranquilidade à população feminina vítima de violência, por meio de atividades de investigação, prevenção e repressão dos delitos praticados contra a mulher. O local deve ser procurado quando a mulher for vítima de crimes contra a honra (calúnia, difamação e injúria); contra a pessoa (ameaça, lesão corporal, constrangimento ilegal); crimes sexuais e cibernético (internet); e atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência.

Por isso, a inauguração da nova sede foi amplamente comemorada e prestigiada por delegados de toda a região da Baixada Santista, inclusive pelo delegado Manoel Gatto, responsável pelo Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-6). Ele comemorou a inauguração do novo espaço, que é adequado tanto para as vítimas quanto para a equipe. Segundo comentou, é esperada também a alocação de mais funcionários para o local, já que está em fase final, na Academia de Polícia, o concurso para escrivães, delegados e investigadores. 

Na região da Baixada Santista, somente Bertioga e Itanhaém não contam com uma DDM, o que, segundo explicou o delegado, depende de decreto estadual. Disse ele: "O nosso governador João Doria, bastante sensível, já prometeu, em campanha, a inauguração de mais 40 Delegacias de Defesa da Mulher, então, esperamos ser contemplados, aqui na região, com essas duas que nos faltam".

Atendimentos

Quando a mulher vitimizada chega à delegacia, é atendida por uma assistente social para o primeiro acolhimento. A profissional realiza uma entrevista e já faz os encaminhamentos para os serviços de proteção e assistência social do município. Em seguida, é registrado o boletim de ocorrência e, dependendo do caso, a vítima pode requisitar a medida protetiva. Entre as mais utilizadas, estão a proibição de aproximação, proibição de contato e afastamento do lar do agressor.

O prefeito Válter Suman revela que somente na cidade, em 2018, aproximadamente 1.700 mulheres foram vítimas de violência e, atualmente, 156  encontram-se sob medidas protetivas. A estimativa é de que 70% dos casos atendidos sejam de violência doméstica. Ele acrescentou: "A gente sabe que, lamentavelmente, o estupro vem aumentando os índices de insegurança para a mulher". 

O novo espaço pode proporcionar também uma maior procura das mulheres pelo atendimento, na opinião do secretário de Defesa e Convivência Social Luiz Claúdio Venâncio Alves. Ele atribui tanto ao ambiente adequado para o acolhimento quanto à localização, que deixará as mulheres mais seguras no registro das ocorrências. O secretário adiantou também que está em tratativa a implantação da Patrulha Guardiã, para amparar as mulheres vitimizadas, que estão submetidas a medidas protetivas. 

O horário de atendimento na DDM é de segunda a sexta-feira, das 9h às 19 horas. À noite, fim de semana e feriados, o atendimento é realizado na Delegacia de Polícia Sede de Guarujá, instalada na avenida Puglisi, 656, no centro.

Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral