Praia Dura, em Ubatuba, “coleciona” bandeiras vermelhas da Cetesb | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Geral
Vista geral da Praia Dura, em Ubatuba
Vista geral da Praia Dura, em Ubatuba Foto: Reginaldo Pupo

Praia Dura, em Ubatuba, “coleciona” bandeiras vermelhas da Cetesb

Praia é imprópria para banho de mar desde 2017


06 de março de 2019 às 17:37
Por Reginaldo Pupo
Vista geral da Praia Dura, em Ubatuba
Vista geral da Praia Dura, em Ubatuba Foto: Reginaldo Pupo

Vista geral da Praia Dura, em Ubatuba
Vista geral da Praia Dura, em Ubatuba Foto: Reginaldo Pupo

Turista passeiam com cachorro na Praia Dura, o que é vetado por lei municipal
Turista passeiam com cachorro na Praia Dura, o que é vetado por lei municipal Foto: Reginaldo Pupo

Crianças brincam em trecho da praia onde há o despejo de águas pluviais, mas contaminadas com esgoto, despejados clandestinamente
Crianças brincam em trecho da praia onde há o despejo de águas pluviais, mas contaminadas com esgoto, despejados clandestinamente Foto: Reginaldo Pupo

Uma das mais belas e procuradas praias de Ubatuba, a Praia Dura, localizada ao sul da cidade, vem “colecionando” bandeiras vermelhas da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, desde 2017, quando até aquele ano, geralmente o lugar tinha suas águas apropriadas para o banho de mar.

Desde então, praticamente todas as semanas, moradores e turistas vêm convivendo com a água do mar poluída.

Basta circular de uma ponta a outra para sentir o cheiro característico de esgoto, que acaba sendo despejado clandestinamente com a água da chuva que circula pelas tubulações que chegam até o mar. O ponto mais crítico – e que também tem maior odor – é no lado esquerdo da praia, próximo ao local onde está instalada a bandeira da Cetesb.

A reportagem também flagrou turistas passeando com cachorros na praia, o que é vetado por lei municipal. 

Moradores afirmam que o esgoto é despejado por um hotel, que está localizado às margens da rodovia Rio-Santos e a cerca de 200 metros da praia. Eles afirmam que denunciaram o problema à Cetesb, que teria enviado técnicos para realizar uma inspeção no empreendimento hoteleiro, que ainda segundo os moradores, não teria tratamento de esgoto. Eles afirmam que o despejo clandestino de esgoto teria sido constatado pela companhia ambiental.


Doenças de pele

Rafael Baptista Clemente, 41, que frequenta a praia há ao menos oito anos, diz que além do problema do esgoto, há o risco de os frequentadores contraírem doenças. “A maioria das pessoas caminha na praia descalças e muitas não sabem que a água contaminada por esgoto contamina também a areia. Neste verão tivemos alguns casos de turistas que contraíram a doença chamada ´bicho geográfico´. E não foram poucas”, observou.

A Cetesb informou que autuou o hotel em janeiro, por “lançar esgotos sem tratamento adequado em corpo d'água classe 2, com a presença de espumas e odor, podendo tornar as águas impróprias a seus usos, nocivas ou ofensivas à saúde, prejudiciais à segurança, ao uso e gozo da propriedade, bem como às atividades normais da comunidade, causando inconvenientes ao bem-estar público.

À época, a Cetesb determinou prazo de 30 dias para que as adequações fossem feitas, sob o risco de novas responsabilidades. Mesmo assim, nesta quarta-feira, 6, a Praia Dura configurava no boletim semanal da Cetesb como imprópria para o banho de mar.

Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral