Ilhabela registra dois casos de malária | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
Geral
Foto: Mosquito Anopheles. Foto: smuay / Shutterstock.com

Ilhabela registra dois casos de malária

Uma criança de 4 anos e um bebê de 1 ano e 2 meses contraíram a doença, entre os dias 19 e 20

21 de novembro de 2018 às 14:22
Por Da Redação

Ilhabela registrou dois casos positivos de malária (doença que tem tratamento, cura e raramente é grave - comum no norte do Brasil) entre os dias 19 e 20 deste mês, caso que não ocorria desde 2013. O primeiro, foi um menino de 4 anos, morador no bairro do Reino, e o segundo, um bebê de 1 ano e 2 meses, do bairro Perequê.


Segundo nota da prefeitura, nos dois casos foram identificados uma forma menos grave da doença, transmitida através do parasita protozoário Plasmodium vivax. Os dois pacientes estão sendo tratados e passam bem. 


A prefeitura também informou que  a Secretaria de Saúde e sua equipe de Vigilância Epidemiológica realizou varreduras nos bairro onde moram as crianças e que, em função dos dois casos, os profissionais da saúde e do Hospital Mário Covas participaram de reunião, na  terça-feira, 20, para atualizar conhecimentos técnicos sobre o atendimento adequado.


A doença

A malária é transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles, infectada por protozoários do gênero Plasmodium.  No corpo humano, o parasita instala-se no fígado para se multiplicar. Os sintomas são febre alta, calafrios, tremores, sudorese e dor de cabeça.


No Brasil, três espécies do Plasmodium mais frequentemente associados à malária em seres humanos, são eles: Plasmodium vivax, Plasmodium  falciparum e Plasmodium  malariae

 

Segundo informou o DataSus, em 2018 o litoral norte notificou oito casos confirmados de Malária, sendo cinco em Caraguá, dois em São Sebastião, e um em Ubatuba.


Recomendações

A Secretaria de Saúde recomenda o uso de repelentes, principalmente das 18 horas em diante, uma vez que o mosquito Anopheles vive em locais de mata fechada com água corrente e tem hábito noturno. Outros mosquitos não transmitem a doença.


Outra orientação da secretaria é que em casos de febre alta (acima de 39º), por mais de quatro dias, associada a tremores, deve-se procurar atendimento médico.


Em caso de notícias falsas sobre o assunto, é sugerido que a população entre em contato com a Ouvidoria da Saúde por meio dos telefones 0800 077 1515 ou (12) 3896 9221 ou pelo e-mail: ouvidoria.saude@ilhabela.sp.gov.br, em horário comercial.





Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral