Caio Matheus lança agenda de obras e projetos para Bertioga | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Geral
Perspectiva da Rodoviária da Vista Linda
Perspectiva da Rodoviária da Vista Linda Foto: Divulgação/PMB

Caio Matheus lança agenda de obras e projetos para Bertioga

A criação de um complexo comercial em torno da rodoviária na Vista Linda, com investimento da iniciativa privada, e a reformulação dos quiosques da praia da Enseada são os destaques


09 de novembro de 2018 às 16:39
Por Estela Craveiro
Perspectiva da Rodoviária da Vista Linda
Perspectiva da Rodoviária da Vista Linda Foto: Divulgação/PMB

Perspectiva do posto de combustíveis e de conveniências
Perspectiva do posto de combustíveis e de conveniências Foto: Divulgação/PMB

Perspectiva do hipermercado
Perspectiva do hipermercado Foto: Divulgação/PMB

Projeto do Complexo Rodoviário da Vista Linda
Projeto do Complexo Rodoviário da Vista Linda Foto: Divulgação/PMB

Caio Matheus fala sobre obras e projetos no programa Café da Manhã
Caio Matheus fala sobre obras e projetos no programa Café da Manhã Foto: JCN

Em participação na noite de abertura do Seminário Revisão do Plano Diretor, realizado pela Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Bertioga, na segunda-feira, 5, e no programa Café da Manhã, da TV Costa Norte, na quarta-feira, 7, o prefeito Caio Matheus listou obras em andamento e elencou obras prestes a ser iniciadas no município.

Ele também revelou projetos para resolver três velhas pendências da cidade: os inúteis quiosques da praia da Enseada; o terreno vazio na confluência da avenida 19 de Maio com a rodovia Rio-Santos; e a rodoviária construída e jamais ativada no bairro da Vista Linda.

Obras a ser iniciadas

Portal de entrada da cidade: com verba do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos (Dadetur), da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo, programa de financiamento a estâncias turísticas. Projeto aprovado, previsto para 2019.

Vista Linda: reurbanização completa da orla da praia da Enseada; pavimentação da avenida engenheiro Eduardo da Costa Júnior, da rodovia Rio-Santos até a praia; e de todas as ruas entre a avenida Anchieta e a praia, com verba do Dadetur.

Indaiá: sistema de drenagem e pavimentação da Ilha 4.

Maitinga: pavimentação da rua Três.

Centro: prolongamento da avenida 19 de Maio entre a rua João Ramalho e a avenida Tomé de Souza, na orla da praia da Enseada. Em fase de liberação de verba da Caixa Econômica Federal (CEF).

Reurbanização das praças dos Emancipadores, na confluência das avenidas 19 de Maio e Anchieta, Aldo Moro e Soroptmista, também no Centro, e Potengi, no Maitinga. Em fase de liberação de verba da CEF.

Expansão contínua do parque de iluminação do município e do sistema de monitoramento por câmeras, com a inclusão de câmeras dos condomínios que quiserem participar.

Projetos em andamento

Rio da Praia: reurbanização da orla do bairro, entre o Maitinga e o Sesc, que deve ter quatro quiosques em duas edificações; construção da praça Samjarp; saneamento básico do quadrilátero todo entre a praia da Enseada e o rio Itapanhaú, abrangendo os trechos denominados como Ilha 1, Ilha 2, Rio Raso, conhecida como Mangue Seco, e Jardim das Canções. O objetivo da prefeitura é conseguir verba para incluir o Jardim Ana Paula. Também no bairro está sendo construída a nova sede do Centro de Especialidades Médias (Ceme).

Indaiá: sistema de drenagem e pavimentação da avenida Lucas da Cruz Carvalho.

Bairro Chácaras: sistema de drenagem e pavimentação da Marginal Norte.

Jardim Raphael: sistema de drenagem, pavimentação e ciclovia da avenida Augusto Ribeiro Pacheco.

Jardim Veleiros: implantação do sistema de micro e macrodrenagem.

Trevos da Rio-Santos: limpeza, paisagismo, iluminação e sinalização dos trevos do Rio da Praia e do Jardim Raphael; ampliação da iluminação do trevo da 19 de Maio, no Centro.

Iluminação: expansão da iluminação do trevo da rodovia Rio-Santos na entrada da avenida 19 de Maio, seguida pela iluminação dos trevos do Rio da Praia e do Jardim Raphael, e pela iluminação da ponte sobre o rio Itapanhaú.

Complexo da rodoviária

A prefeitura de Bertioga  prepara-se para abrir licitação pública para um complexo comercial que deve envolver a rodoviária. O projeto prevê a criação de três conjuntos de edificações no local onde fica a rodoviária construída na Vista Linda. Esse prédio deve ser reformulado, com o aproveitamento da parte térrea, que está pronta, e deve ganhar laje e pavimentos acima dela.

Ali, devem ficar a estação rodoviária, que funcionará como terminal municipal e intermunicipal de ônibus, lojas para locação de cinema, teatro ou centro de convenções. No terreno a seguir, em direção à Riviera de São Lourenço, devem ser instalados posto de combustíveis e lojas de conveniência e de alimentação. E, no terreno seguinte, deve ser instalado um hipermercado.

Nenhum dinheiro público será investido nesses empreendimentos, que devem ter licitações lançadas no início de 2019. Tudo deve ser feito por investidores interessados em construir e manter esses equipamentos comercialmente, explica Caio Matheus: “A empresa que ganhar a licitação vai explorar, vai construir, terá uma outorga da prefeitura, e todo mundo sai ganhando”.

Praia da Enseada

Também devem ser oferecidos à iniciativa privada, por licitação, o primeiro e o último dos cinco quiosques da praia da Enseada, para instalação de restaurantes. Os outros três devem ser reformulados pela própria prefeitura, para funcionar como área de esportes indoor, complexo multicultural e centro de integração entre idosos, jovens e crianças. As licitações para os restaurantes e para as obras municipais devem ser lançadas no início de 2019.

Pavilhão multiuso

O prefeito também apresentou o projeto de um pavilhão multiuso para o terreno localizado no cruzamento da avenida 19 de Maio com a rodovia Rio-Santos, na entrada principal da cidade, para o qual a prefeitura busca verba do Dadetur: “Isso já existia como projeto. A ideia é aproveitar algumas coisas desse projeto”.

Caio Matheus contou que nada foi feito naquele terreno porque, até a recente regularização fundiária do Jardim Albatroz, o espaço não tinha documentação, mesmo sendo área pública: “Por isso, um projeto para aquela área não podia receber repasses de verba.  Mas hoje pode. Um dos nossos próximos passos para fomentar a economia de Bertioga e gerar empregos é trabalhar ali”.

Últimas Notícias