Em ruínas, capela jesuíta de 1920 “agoniza” em São Sebastião | Sistema Costa Norte de Comunicação
Logo do Jornal Costa Norte
|
Geral
Foto: Reginaldo Pupo

Em ruínas, capela jesuíta de 1920 “agoniza” em São Sebastião

Capela do Bom Jesus, localizada no bairro da Enseada, encontra-se em total estado de abandono


04 de outubro de 2018 às 14:07
Por Reginaldo Pupo

Paredes rachadas, telhas quebradas, mato alto, pintura desgastada e pichada; estrutura de tijolos exposta e muito lixo. Esse é o cenário de abandono em que se encontra a Capela do Bom Jesus, localizada no bairro da Enseada, costa norte de São Sebastião. A “igrejinha”, como é carinhosamente chamada pelos moradores, fica na curva de acesso ao bairro, a um passo e meio da rodovia Rio-Santos (SP-55).

O estado de abandono impressiona. Em seu interior, ainda restam pedaços de madeira que formavam os bancos nos quais fiéis sentavam-se para assistir às missas. O pequeno altar ainda “sobrevive”. As paredes internas estão pichadas. No entorno da construção, há roupas íntimas femininas, latas de cerveja e pinos de cocaína utilizados.  Ainda restam vestígios de imagens de alguns santos. Todas as janelas de vidro estão quebradas ou trincadas. A entrada principal foi “emparedada”, para evitar a presença de mendigos no local. Há alguns anos, a reportagem encontrou um cobertor, indício de que o local estava sendo utilizado como moradia. Antes do “emparedamento”, havia tapumes na porta principal da capela, mas ainda assim o lugar era usado por usuários de drogas.  Para disfarçar o aspecto de abandono, a igrejinha recebeu uma pintura do lado de fora. Por dentro, continua com mofo e pichações.

A construção foi erguida entre os anos de 1920 e 1940. Trata-se de uma típica capela de jesuítas, erguida com tijolo, barro, areia e cal de conchas, material que vem se deteriorando com o tempo e se perdendo junto com a história do lugar. Marco Antônio Pivoto, que passou pelo local na semana passada com um amigo,  ficou impressionado com o estado de abandono: “Num país que normalmente não cuida ou preserva a sua história, não é de se espantar a situação dessa igrejinha. Mas a quem cabe essa responsabilidade? É um pedacinho de São Sebastião que está abandonado”, lamenta. 

 

Projetos

Desde 2008, o Departamento de Patrimônio da prefeitura de São Sebastião informa ter um projeto que envolveria a restauração da Capela do Bom Jesus, previsto num diagnóstico elaborado para verificar a situação das capelas caiçaras existentes no município, tombadas pela lei municipal 943/94. A lei estabelece um plano de ação visando a ampliação, reforma e pintura dos imóveis. A legislação prevê ainda que a prefeitura proteja estes monumentos e faça o acompanhamento frequente.

A intervenção pode ser feita a qualquer momento, já que não existe necessidade de autorização de órgãos como o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) ou Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), pelo fato de a capela ser um “tombamento municipal”. 

 

Para a Igreja Católica, capela não existe oficialmente

A Igreja Católica informou que não pode fazer nenhum tipo de intervenção na igrejinha, pois, oficialmente, a Capela do Bom Jesus não faz parte de seus registros. Ou seja, ela “não existe”.  Ainda segundo a entidade, não há nenhum documento que comprove que a capela pertença à Igreja. Também não há informações sobre quem a construiu. A Diocese de Caraguatatuba realizou uma série de estudos, mas não conseguiu descobrir a origem da igrejinha.  A Diocese informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que a capela é tombada como “Capela Caiçara”, pela lei municipal 934/94, sendo, portanto, de responsabilidade do poder público municipal, por intermédio do Departamento de Patrimônio Histórico.

Apesar de ser uma construção originada entre 1900 a 1950, e ter como patrono o Senhor Bom Jesus, a Igreja Católica local não possui registros sobre sua existência, por ter sido construída em área da União. Ainda de acordo com a Diocese, à época da duplicação da rodovia SP-55, o acesso ao templo ficou prejudicado e, de comum acordo entre comunidade e poder público, foi destinado outro local para a construção de uma nova capela, também dedicada ao culto ao Senhor Bom Jesus, mas na avenida Dario Leite Carrijo, no bairro da Enseada, em área pertencente, hoje, ao território paroquial da paróquia Santa Rosa de Lima, Diocese de Caraguatatuba.


Prefeitura diz que capela será reformada em 2019

A prefeitura de São Sebastião, por intermédio de sua assessoria, informou que existe um projeto da Secretaria Municipal de Obras para reforma da Capela do Bom Jesus.  O início das obras está previsto para o início de 2019. Segundo a prefeitura, o projeto está na fase de planilha de custos. Ainda segundo a administração, desde o início da atual gestão, a área na qual fica a capela está na lista da programação de manutenção da Regional Costa Norte, que procura manter o local limpo e organizado.

Últimas Notícias