Samu de Bertioga sem equipamentos básicos | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
Geral
Base do Samu foi instalada temporariamente na sede do Campb
Base do Samu foi instalada temporariamente na sede do Campb Foto: Arquivo pessoal

Samu de Bertioga sem equipamentos básicos

Pás de desfibrilador adulto estão em falta há dois anos; prefeitura afirma que compra do equipamento está em fase final de licitação

13 de abril de 2018 às 16:21
Por Marina Aguiar

Item indispensável para reverter quadros de parada cardíaca, o desfibrilador do serviço de atendimento móvel de urgência (Samu) de Bertioga está, há dois anos, sem as pás para uso adulto, utilizadas durante o socorro. Segundo um denunciante que não quis se identificar, a falta do equipamento pode custar a vida de um paciente. "Sem essas pás, o paciente recebe massagem cardíaca manual até chegar na UPA", afirmou.

As pás foram compradas pela última vez há dois anos, quando o Instituto Corpore era responsável pela gestão das unidades de saúde do município. Com o tempo, elas perderam a aderência e não funcionam, nem com o gel lubrificante que facilita a condução elétrica e evita a queima da pele do paciente. Atualmente, a equipe conta apenas com as pás infantis, que não têm potência para atender um adulto.

Disse o denunciante: "O desfibrilador é instalado no peito do paciente e faz a leitura para achar o ritmo chocável. É um equipamento para leigos, auxilia em qualquer situação. Se o coração tiver alguma vibração, ele dá o choque imediatamente; é quando se pode reverter a situação. Mas, com a falta do desfibrilador, não se sabe se a pessoa está com o coração completamente parado, e o socorrista ainda se desgasta fazendo a massagem manual até a UPA".

Além das pás, é frequente faltar equipamentos básicos aos socorristas. Os uniformes, camisetas e botas são comprados pelos próprios funcionários. "Alguns utilizam uniformes até de Guarujá, para poder andar padronizados, já que a prefeitura não fornece".

Em resposta, o diretor do Hospital Municipal de Bertioga, Rodrigo Betarelli, informou que "toda parada cardíaca, independentemente de ter ou não o desfibrilador, tem que fazer massagem cardíaca manual. Não tem as placas do desfibrilador automático (DEA), porém tem o desfibrilador de uso por operador. E que todos os funcionários estão uniformizados". A prefeitura de Bertioga foi questionada anteriormente e informou que as pás e uniformes estão processo final de licitação para aquisição. 

Base

Desde o incêndio que atingiu o Hospital de Bertioga e a UPA, em janeiro desse ano, a base do Samu foi transferida para a sede do Instituto Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Bertioga (Campb), no qual os socorristas contam com uma sala, banheiros e local para refeições. De acordo com as denúncias, o local expõe os jovens patrulheiros a possíveis doenças, em contato com os socorristas. "O incêndio atingiu a sala do Samu, na UPA, que também não é o local ideal. O Samu precisa estar em um local estratégico, que compreenda mais bairros da cidade, não só o centro", destacou um informante.

A prefeitura informou, por meio de nota, que a base do Samu foi instalada no prédio do Campb temporariamente. "O local em que o serviço era abrigado, contíguo ao Hospital/Unidade de Pronto Atendimento (UPA), está passando por readequação. Ainda sobre o Samu, duas bases serão transferidas dentro de 20 dias para o prédio da UPA Vista Linda, que, neste momento, passa por adequações de instalações de rede".

Últimas Notícias