Logo do Jornal Costa Norte
|
Geral

Ônibus da Viação Bertioga não podem pegar passageiros em Boraceia 2

Moradores do bairro de São Sebastião e munícipes de Bertioga escolhem entre esperar o ônibus da Litorânea, que demora mais, ou caminhar pela Rio-Santos até o primeiro ponto bertioguense


11 de abril de 2018 às 11:40
Por Estela Craveiro
Ônibus da Viação Bertioga apanha passageiros no primeiro ponto em território bertioguense, para quem vem de São Sebastião, no quilômetro 191 + 900 metros
Ônibus da Viação Bertioga apanha passageiros no primeiro ponto em território bertioguense, para quem vem de São Sebastião, no quilômetro 191 + 900 metros Foto: JCN

Trecho percorrido a pé por quem vem de Boraceia 2 para pegar o ônibus em Boraceia
Trecho percorrido a pé por quem vem de Boraceia 2 para pegar o ônibus em Boraceia Foto: JCN

Ônibus da Ecobus, de São Sebastião, fazendo o retorno no quilômetro 191, onde fica o ponto em que desce quem vem de Bertioga
Ônibus da Ecobus, de São Sebastião, fazendo o retorno no quilômetro 191, onde fica o ponto em que desce quem vem de Bertioga Foto: JCN

Posto de gasolina quase no quilômetro 189, onde os ônibus das linhas 2 e 7 da Viação Bertioga entravam à esquerda para o ponto final
Posto de gasolina quase no quilômetro 189, onde os ônibus das linhas 2 e 7 da Viação Bertioga entravam à esquerda para o ponto final Foto: JCN

Antigo ponto final das linhas 2 e 7 da Viação Bertioga, em Boraceia 2, ao lado do posto de gasolina
Antigo ponto final das linhas 2 e 7 da Viação Bertioga, em Boraceia 2, ao lado do posto de gasolina Foto: JCN

Trecho inicial entre o quilômetro 189 e o quilômetro 191,9 da Rio Santos, onde fica o primeiro ponto em que os ônibus das linhas 2 e 7 podem embarcar passageiros
Trecho inicial entre o quilômetro 189 e o quilômetro 191,9 da Rio Santos, onde fica o primeiro ponto em que os ônibus das linhas 2 e 7 podem embarcar passageiros Foto: JCN

Ônibus da linha 2 sai vazio do ponto do quilômetro 191, onde faz o retorno para Bertioga
Ônibus da linha 2 sai vazio do ponto do quilômetro 191, onde faz o retorno para Bertioga Foto: JCN

Trecho da divisa entre São Sebastião e Bertioga, entre os quilômetros 191 e 192
Trecho da divisa entre São Sebastião e Bertioga, entre os quilômetros 191 e 192 Foto: JCN

Ônibus da linha 2 se aproximando do ponto do quilômetro 191,9 da Rio-Santos
Ônibus da linha 2 se aproximando do ponto do quilômetro 191,9 da Rio-Santos Foto: JCN

Geovaldo Silva de Oliveira, zelador de condomínio de Boraceia 2, no retorno do quilômetro 191: sacrifício para idosos e grávidas e perigo para todos
Geovaldo Silva de Oliveira, zelador de condomínio de Boraceia 2, no retorno do quilômetro 191: sacrifício para idosos e grávidas e perigo para todos Foto: JCN

Desde novembro passado, o acesso a Bertioga ficou mais difícil para quem mora em Boraceia 2, já no município de São Sebastião, ou para quem ali chega e quer se dirigir a Bertioga. Antes, os ônibus da Viação Bertioga, que fazem as linhas 2 e 7, do Centro a Boraceia, atravessavam a divisa, entre os quilômetros 191 e 192, iam até o posto de gasolina existente perto do quilômetro 189, já em Boraceia 2, e de lá voltavam, pegando passageiros.

Mas os motoristas não podem mais fazer isso. No máximo, podem deixar os passageiros que chegam ao local descer no ponto do quilômetro 191, contam Raimundo de Souza Alexandre, morador do Jardim Vicente de Carvalho, e Válter de Souza, morador de Santos, que procuraram o Sistema Costa Norte de Comunicação para se queixar da situação. Frequentadores de Boissucanga, eles costumavam chegar ao quilômetro 191 com os coletivos da Ecobus, de São Sebastião, e pegar os ônibus das linhas 2 e 7.

Agora, eles são obrigados a pegar o coletivo da linha Boissucanga/Bertioga, da Litorânea, com intervalos irregulares, que variam de 50 minutos, no início da manhã e no fim da tarde, a uma hora e meia, no resto do dia e da noite. Ou ficam esperando ou andam quase um quilômetro até o primeiro ponto de Bertioga, para tomar os ônibus das linhas 2 e 7.  Nesse caso, os passageiros enfrentam o desconforto de caminhar pelo acostamento da rodovia Rio-Santos, sob sol ou chuva, e no escuro, quando anoitece, o que é particularmente penoso para idosos, crianças, mulheres grávidas, pessoas doentes, e portadores de necessidades especiais.

As restrições à coleta de passageiros pela Viação Bertioga, em Boraceia 2, foram impostas pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), responsável pela fiscalização do transporte intermunicipal no estado paulista. Caso embarque passageiros em área de São Sebastião, a Viação Bertioga pode ter o veículo apreendido, conforme prevê a legislação.  “É um descaso com o povo. Eu me sinto prejudicado”, reclama Raimundo. Válter endossa: “Isso é inadmissível, muita falta de humanidade, e muito perigoso, porque temos que andar na beira da estrada. De noite, esperamos juntar uma turma para todo mundo andar junto, com medo de sermos roubados, e falta iluminação”. 

A Litorânea até baixou o preço da passagem para R$ 3,40, para quem embarca em Boraceia 2, o mesmo valor cobrado pela Viação Bertioga. Mas, para quem opta por esperar, o problema é o longo tempo perdido. Para quem opta por caminhar até o ponto após a divisa, o problema é o risco de atropelamento e assalto no acostamento da pista.

Lá trafegam bicicletas e há frequentes invasões de automóveis, quando há congestionamento na estrada, relata Geovaldo Silva de Oliveira, zelador de um condomínio de Boraceia 2, próximo da divisa entre as duas cidades: “É muito sacrifício, principalmente, para os velhinhos e as grávidas. E tem perigo para todo mundo. Já vi homem ser assaltado no acostamento. E no escuro, de noite, as mulheres podem ser estupradas”.      

Diante da situação, a Viação Bertioga informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que possui concessão para operar o transporte coletivo apenas no município de Bertioga, e que, “em cumprimento à determinação da Artesp, realiza somente o desembarque dos passageiros no trecho final do bairro de Boraceia, divisa dos dois municípios”.  

Também por meio de sua assessoria, a Artesp afirmou que não houve mudança. Diante dos depoimentos de usuários dos ônibus, informou que “esse embarque era irregular, já que as linhas da Viação Bertioga são municipais. A partir de fiscalizações, esse procedimento passou a ser coibido, conforme prevê a legislação”.

A diretoria de trânsito da Secretaria de Segurança e Cidadania de Bertioga, informou, por meio da assessoria de comunicação da prefeitura, que os ônibus de Bertioga só rodam até Boraceia 2, porque “não existe outra possibilidade de conversão para o retorno”. E descartou a criação de um ponto de ônibus mais próximo da divisa, por não haver local viável para o abrigo, argumentando que o primeiro ponto bertioguense fica 900 metros depois do quilômetro 191, e que o padrão de distância entre pontos de ônibus é de 400 metros.

O Departamento de Estrada de Rodagem (DER), a quem cabe autorizar novos pontos de ônibus na Rio-Santos, informa, por meio de sua assessoria de imprensa, que compete às diretorias de trânsito das prefeituras apresentarem projetos para isso e depois executá-los. Não há registro de solicitações de Bertioga.

Últimas Notícias