Construção civil reflete desenvolvimento - Sistema Costa Norte de ComunicaçãoBertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga

Nos últimos três anos foram construídos em Bertioga mais de 800 mil m². O número representa 1,5 bilhão de reais injetados no setor da construção civil, com a geração de mais de 19 mil postos de trabalhos diretos, considerando dez operários por Obra. Os dados são da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que chegou a estes números através do balanço das licenças ambientais concedidas no período de novembro de 2001 a abril deste ano, totalizando 1.952 projetos novos.

Mesmo com a conjuntura atual do país, que provoca a baixa no mercado da construção civil, Bertioga continua na linha do desenvolvimento. O secretário do Meio Ambiente, o engenheiro florestal Nelo José Fernandes, destaca que em 2002, considerado o melhor ano da construção civil em Bertioga, a média de licenças concedidas foi de 52 por mês e 56 em maio deste ano, foram liberadas 69. “E a contraprova do crescimento do Município. Em apenas um mês obtivemos um número maior do que o melhor do ano”, comenta.

As belezas naturais direcionam a vocação do Município para o lazer. Não é à toa que, segundo Nelo José Fernandes, o maior número de licenças concedidas são para a construção de imóveis de veraneio. “A sinergia entre mar, rios, mata e manguezais dá um potencial diferenciado que atrai investidores. Os ecossistemas naturais do Município precisam ser preservados de forma obstinada”, afirma.

Para preservar toda esta riqueza Nelo Fernandes informa que a Prefeitura Municipal tem autonomia. “O Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) é analisado por nossa equipe e sempre terá a complexidade da obra que o gera”, explica.

 

 

 

Investidores dão preferência aos condomínios.

 

No último levantamento realizado pelo Sindicato dos Condomínios Prediais do Litoral Paulista, em maio deste ano, Bertioga contava com cerca de 250 condomínios. Esta preferência dos investidores é explicada pela segurança e organização dos serviços que um condomínio pode oferecer.

O presidente do sindicato, Rubens Moscatelli confirma que Bertioga é uma das cidades mais promissoras da Baixada para a instalação deste tipo de empreendimento. “A extensão das terras, aliada ao ecossistema preservado é um grande atrativo”, destaca. Para ele, ao mesmo tempo em que as exigências ambientais restringem o desenvolvimento, elas também dão a garantia de um futuro com atualidade. “Se tudo fosse liberado e hoje explodisse o número de construções, também seria prejudicial para futuros investimentos na região”, acrescenta.

Neste exato momento, 150 casas de veraneio estão sendo construídas em um único condomínio, o Morada da Praia em Boracéia. No empreendimento existem 2.200 moradias e ainda há disponíveis 1.200 lotes. O condomínio conta com estrutura de segurança, centro comercial e emprega 215 funcionários na Associação dos Condôminos Morada da Praia, que tem como presidente José Roberto Vitti, além dos empregos indiretos. “O Morada da Praia é o terceiro gerador de emprego para Bertioga e a quarta fonte de arrecadação de impostos. No âmbito social este é um peso muito grande”, diz José Vitti.


Veja também

Terceiro setor aponta desenvolvimento social.

Representantes de entidades sérias de Bertioga concordam qu...

2005

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware