Fao chega aos três anos com dificuldades - Sistema Costa Norte de Comunicação Bertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga

Com um número bem reduzido de alunos e professores, a Fundação de Artes e Ofícios de Bertioga completará três anos de atividades, no próximo dia 21, em meio a inúmeros problemas, principalmente, falta de recursos financeiros para manter o quadro de profissionais e o atendimento aos menores de Bertioga.

Mas nem mesmo as dificuldades serão empecilho para se comemorar, de forma especial, estes três anos de dedicação à música. No dia 23, a Orquestra Didática do Município fará apresentação especial, a partir das 20 horas, no cinema da Colônia de Férias do Sesc Bertioga. Criada em 1994,  pela prefeitura, através da implantação do projeto Oficina de Música Maestro Tom Jobim, a Orquestra Didática, idealizada pelo maestro Paulo Sérgio Gabriel, conta com cerca de 30 elementos quando chegou a ter 120. Antes de se tornar entidade privada, a Fao teve uma média de mil alunos passando, agora, para 145 que participam de cursos de teclado piano, violino, contrabaixo, violão, guitarra, instrumentos de sopro e, entre outros, curso de luteria, onde cerca de 30 crianças aprendem a confeccionar instrumentos.

Mantida com ajuda de empresários da cidade e presidida por Orvalino Schina, a Fao conta com 12 professores e funciona em área cedida pela prefeitura, que também forneceu os instrumentos, no próprio prédio da administração municipal. Segundo Nanci Oliveira Jaqueire, auxiliar administrativa e professora, apesar dos problemas, o espírito inovador do projeto, divulgado na imprensa nacional e internacional, continua entre os professores e alunos que se revelam com enorme potencial para a música.

Para estudar, os jovens pagam mensalidade de R$ 50,00 enquanto a taxa para membros da Terceira Idade é de R$25,00. Já as crianças carentes são auxiliadas por empresários que arcam com os custos das mensalidades.

Projetos - Uma das alternativas, para tentar minimizar o problema da falta de recursos, é o convênio que poderá ser firmado com a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo para a Fao desenvolver um trabalho específico junto aos núcleos favelados de São Paulo. "Mas não há nada definido ainda", comenta Nanci Jaqueire. Segundo ela, para manter a entidade seriam necessários R$ 15 mil mensais, que seriam destinados ao pagamento dos professores e possibilitaria ampliar o atendimento para 400 alunos.

A proposta da entidade é proporcionar às crianças, adolescentes e adultos, ensino musical e a arte da luteria. Já a Orquestra Didática nasceu há três anos, com o propósito de funcionar como um laboratório para a prática musical em grupo e como embrião de uma futura Orquestra Sinfônica que seria formada por músicos da cidade.


Veja também

Riviera investe em cultura e educação

Empreendimento cria novos espaços e amplia atendimento à pop...

2000

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware