Problema do lixo exige solução própria - Sistema Costa Norte de Comunicação Bertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga

A grande distância geográfica entre Bertioga e os demais municípios da Baixada Santista está levando a prefeitura local a buscar uma solução isolada para resolver o problema da destinação do lixo. Embora o processo de metropolização da Baixada contemple uma solução regional para a questão, a prefeitura de Bertioga concluiu que o alto custo do transporte dos detritos inviabilizaria qualquer projeto comum.

Membros da Câmara Temática de Meio Ambiente  reuniram-se em Praia Grande, no início deste mês, para discutir a destinação do lixo na Baixada Santista e a possibilidade de soluções metropolitanas ou saídas isoladas que atendam à realidade de cada cidade.

Foto: Arquivo JCN

A reunião contou com a participação de representantes dos nove municípios e, praticamente, parcelou a Baixada em três microrregiões. Devido ao custo que o transporte dos detritos pode acarretar, Bertioga ficou classificada como uma cidade de solução individual, enquanto os municípios de Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe poderão achar uma solução comum. Praia Grande, São Vicente, Santos, Guarujá e Cubatão formam o terceiro grupo devido à proximidade entre seus territórios.

Ambiente - Desde o início deste ano, o lixo domiciliar de Bertioga vem sendo depositado em parte do morro Acaraú, que tem aproximadamente 200 mil m² de área. O diretor de Planejamento e Meio Ambiente da prefeitura, engenheiro Paulo Velzi, estima que a área já abriga cerca de 1.800 a duas mil toneladas de lixo, que foram cobertos, com critérios, para evitar danos ambientais.

Foto: Arquivo JCN

Porém, se não forem realizadas obras de drenagem, contenção de chorume e melhorias de acesso, em pouco tempo a área não terá mais capacidade de receber o lixo. Mas para que essas obras sejam feitas será preciso autorização da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, o que também será discutido em reunião com representantes da prefeitura e de órgãos estaduais, em data a ser definida, explicou Velzi.

Até o início do ano, todo o lixo produzido em Bertioga era despejado num antigo terreno, próximo à rodovia Rio-Santos, pertencente à família Vergara. A recuperação ambiental desta área já começa a ser analisada pela Diretoria de Planejamento e Meio Ambiente, que está elaborando projeto para obras no local. Outra área, considerada a única própria para a destinação do lixo do município, fica na Fazenda Matão, próxima ao Itaguaré.


Veja também

Riviera investe em cultura e educação

Empreendimento cria novos espaços e amplia atendimento à pop...

2000

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware