Muitos são os atrativos - Sistema Costa Norte de ComunicaçãoBertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga

Você ainda pensa que Bertioga é apenas a cidade das praias? Pois saiba que ela é recheada de outros cenários naturais e históricos,capazes de atrair e cativar todo tipo de turista.

Foto: Mar Franz

Abundante em rios, trilhas, serras, mangues,fauna e flora,e ainda contemplada com monumentos históricos de grande relevância nacional, como o Forte São João, que data de 1532,e a centenária Usina Hidrelétrica de Itatinga, ambos em perfeito estado de conservação, Bertioga tem potencial para se tornar uma estrela do ecoturismo, segmento que,segundo a Organização Mundial do Turismo,cresce mais de 20% ao ano,enquanto o turismo tradicional atinge 7,5%.

Agências de turismo da cidade operam pacotes variados voltados ao público amante da natureza, formado principalmente por pessoas de classe média alta, escolas e estrangeiros, que buscam aventura, lazer, estudo e contemplação.Mas, mesmo com tantos atrativos naturais preservados e inquestionavelmente magníficos, a procura por estes passeios na cidade ainda é baixa, segundo os operadores, que são unânimes na opinião de que as principais carências do setor são a falta de informação,de divulgação e de infraestrutura - principalmente em relação às trilhas.“ As pessoas consultam. Mas falta informação até para nós mesmos. Por isso, não divulgamos. Há também a falta de parceria entre as agências e os hotéis,por exemplo”, afirma Nádia D´Angelo,da empresa Viabiliza Tur. O diretor da agência SeivaTur, Ricardo Pereira do Rosário,reclama da falta de incentivo do setor público na divulgação da cidade. “Ainda falta muito neste setor,principalmente em infraestrutura”.

Foto: JCN

De acordo com essas opiniões, ainda há muito a se fazer para que o ecoturismo venha a se tornar uma das fortes atividades econômicas de Bertioga.Um objetivo,contudo,perseguido pelo diretor municipal de turismo Flávio Lessa,que garante avanços neste setor e cita os estudos para readequação da Lei Municipal de Ecoturismo,para a reciclagem dos monitores de ecoturismo local, formados em turmas de 1997 e 2005,e a preparação de um curso de guias,em parceria com a Embratur.

Sobre o aporte nas trilhas,ele afirma que está sendo feito um novo plano de manejo e que, até o final deste ano, a cidade terá pelo menos duas ou três trilhas estruturadas com receptivo, sanitários e infraestrutura de apoio ao ecoturista. Ele diz:“Bertioga já tem uma trilha de excelência, que é a do Parque das Neblinas; queremos replicar o mesmo padrão para outras trilhas da cidade para potencializar o setor não só no planalto, mas também aqui embaixo”.

Foto: Mar Franz

O recurso para este investimento, segundo Flávio Lessa, deve vir da parceria com o estado, por meio da criação do Núcleo Bertioga, do Parque Estadual Serrado Mar(PESM) e do Parque Estadual Restinga Bertioga (PERB).

Hoje, Bertioga possui oito principais trilhas divulgadas pelas agências locais. De acordo com Lessa,dentro do plano de manejo a ser discutido com o gestor do PERB,está a reabertura da trilha do Itapanhaú,com descida pela Serra do Mar,fechada desde 1997.

Caminhos de Anchieta

Foto: JCN

O secretário estadual de Turismo Márcio França destaca a criação do Projeto Passos dos Jesuítas – Caminhos de Anchieta -,como um futuro atrativo turístico para a cidade.“Será uma grande colaboração nesse sentido. Trata-se de um roteiro de peregrinação e contemplação criado em homenagem a esses personagens históricos, que será feito com acompanhamento digital on-line dos principais pontos pelos quais o turista passa.Em Bertioga,os peregrinos têm como parada quase que obrigatória o belo Forte São João e a Praia da Enseada. Isso significa a chegada de dezenas de novos turistas para conheceras belezas naturais e ecológicas da região”.

História, trilhas e aventura

Foto: JCN

Conheça alguns dos roteiros operados pelas agências de Bertioga:

Forte São João

Uma viagem no tempo, mais especificamente ao início da colonização do Brasil,é o que proporciona a visita ao primeiro monumento erguido em paliçada no país,em 1532, para defender as vilas de Santos,São Vicente e São Paulo de ataques de inimigos e indígenas. Localizado na Praia da Enseada, às margens do canal de Bertioga,cartão-postal da cidade.

Vila de Itatinga

Um pequeno vilarejo que possui uma das mais antigas usinas hidrelétricas em funcionamento no Brasil (inaugurada em 1910). Lá é gerada a energia para o cais e armazéns do porto de Santos, o maior da América Latina. O roteiro inclui passeio de barco e bonde elétrico, banho na Cachoeira dos Três Poços e contemplação de diversos ecossistemas da Mata Atlântica,como mangue,restinga e mata de encosta.

Terra Indígena Ribeirão Silveira

Foto: JCN

Visita à aldeia da tribo tupi-guarani, onde é possível conhecer sua cultura, crença e artesanato.Passeio inclui caminhada em meio à Mata Atlântica até o Rio Silveira.

Parque das Neblinas

O passeio leva a uma região de Bertioga localizada no planalto e inclui trilha, mergulho no Rio Itatinga e receptivo com apresentação do projeto desenvolvido no parque

Trilha do Itaguaré

Caminhada pelos 3,5km de praias desertas, canoagem no Rio Itaguaré e contemplação de trechos de mangue e matade restinga.

Trilha do Cacau

Um passeio exclusivo que começa a bordo de pequenos barcos de alumínio pelo intocado Rio Itaguaré;atravessa áreas de mangue e Mata Atlântica.Em seguida,caminhada de mais 4 km em trilhas agrestes ao longo da planície de restinga, até uma plantação desativada de cacau. O percurso é em terreno misto, com trechos alagados e um pouco de lama, passagem por riachos, terminando com banho de rio em uma pequena praia.

Acqua ride

Foto: Mar Franz

Uma superaventura, cheia de adrenalina onde o turista, após caminhada de 1,5 km,chega às margens do Rio Itapanhaú, no trecho onde é possível praticar a atividade. Com bote individual e equipamento de segurança,tem início a descida do rio por corredeiras entre as pedras e pequenas quedas de água(nível Class I e II) para iniciantes.

Trilha da água

O passeio começa com a travessia do Rio Itapanhaú, onde tem início a caminhada de 700 metros por uma trilha seca com visão para o ecossistema de manguezal. Todo percurso é feito em terras do Sesc Bertioga.Ecossistema visitado:rio,mangue,mata ciliar,mata de restinga e mata de encosta.

Mobilização pelo ecoturismo

A quem cabe a responsabilidade de planejar e desenvolver o ecoturismo em uma cidade ou região? Como funciona esse processo? Para responder estas e outras perguntas, convidamos Eduardo Pichitelli, diretor da entidade Ambiente Terra, e articulista do Jornal Costa Norte. Acompanhe alguns trechos da entrevista:

Como se inicia um planejamento relacionado ao ecoturismo?

Pode ser por uma dessas duas maneiras: pela vontade do poder público,quando enxerga e entende que essa atividade é de relevância para a economia do município e, assim, dinamiza todas as secretarias para se envolverem no desenvolvimento do mesmo (normalmente não é assim que acontece); e pela mobilização de grupos de pessoas (empresários, comunidade, associações etc.), por meio de uma coordenação, que encabeçará o processo (podendo ser uma comissão).Neste caso,será mais legítimo e relevante o processo. O ecoturismo só funciona quando as pessoas da cidade incorporam o conceito de preservação ambiental e têm consciência de que não é apenas uma questão de ideologia,mas uma fonte importante do sustento e geração de trabalho e renda.

Como o ecoturismo pode colaborar com o desenvolvimento sustentado de um município?

Foto: JCN

O ecoturismo pode contribuir de maneira importantíssima na economia de uma cidade gerando trabalho e renda, preservação do meio ambiente, da cultura e da história. Existem municípios que têm enorme potencial para o desenvolvimento desta atividade, porém é necessário destacar que a elaboração das diretrizes, das ações e da consolidação das propostas deverá ser extremamente criteriosa e muito bem planejada, pois apenas atrativos turísticos e belezas naturais não tornam uma cidade um destino turístico.

Qual a forma correta de se planejar a atividade?

É manter sempre o foco na preservação ambiental, permeando as comunidades para que a atividade se torne uma fonte econômica. A atividade necessita do envolvimento e da participação dos diversos segmentos da sociedade, que serão os motores da atividade trabalhando em conjunto, de maneira alinhada. Incluem-se aí comunidades,empresários, imprensa, poder público,órgãos governamentais e não governamentais.

O que seria um ecorroteiro perfeito?

O roteiro perfeito para um destino ecoturistíco manifesta-se quando a cidade exala preservação ambiental através dos seus moradores; quando, nas ruas, as propagandas estejam relacionadas à sustentabilidade; quando, nas lojas, sejam vendidos produtos feitos por comunidades locais como artesanato, doces etc, tendo como proposta o “comércio justo”, no qual todos são beneficiados através do lucro de forma ética e justa; quando as trilhas e os atrativos naturais sejam bem sinalizados, oferecendo boa infraestrutura e segurança aos ecoturistas.

Como esse segmento pode fazer parte das discussões do Plano Diretor?

Foto: Cristiane Silva

plano diretor deve contemplar o município como indutor de boas práticas de sustentabilidade, promovendo o intercâmbio econômico,social e ambiental entre os diferentes segmentos.Deverá também referenciá-lo como exemplo a ser seguido por outras cidades na sua gestão verde,na qual o poder público dará incentivos fiscais nas ações que priorizem a preservação ambiental e se consolide como uma APL (Arranjo Produtivo Local).Para conhecer a ONG Ambiente Terraacesse www.ambienteterra.com.br  


Veja também

Dia do sim será comemorado com extensa programação

Bertioga está comemorando hoje, dia 19 de maio, três anos d...

1994

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware