A linguagem do encantamento - Sistema Costa Norte de ComunicaçãoBertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga

Munidos de binóculos, os estudantes são convidados a passear pelas alamedas e observar os pássaros e árvores do lugar.

Foto: JCN

Observar, sentir e experimentar, essas são as propostas contidas no projeto Expedições Ambientais, do Sesc Bertioga, um dos programas do Centro de Educação Ambiental –CEA - da unidade; um espaço destinado ao convívio e reflexões sobre as questões socioambientais locais.

Destinado a estudantes da rede pública de ensino da cidade e região, o Expedições Ambientais realiza roteiros interativos nos ambientes em que predominam a água e a biodiversidade. A partir do segundo semestre, terão início os roteiros que contemplam a sustentabilidade e povos do litoral.

Foto: JCN

As experiências oferecidas pelo programa pautam ações dentro e fora da unidade. Nas expedições, as crianças conhecem e vivenciam os ambientes de Bertioga por meio de acervos, painéis, tanque de toque,maquetes, viveiro de mudas, lago,casa do caiçara, e praia e estações de tratamento de água e esgoto.

Munidos de binóculos e bloco de anotações, os estudantes são convidados a passear pelas alamedas e observar os pássaros e árvores do lugar. Em outro momento, conhecem o núcleo de educação ambiental destinado à baleia mink. Um ambiente interativo onde as crianças têm contato com a ossada de um exemplar da espécie que encalhou em Bertioga em março de 1991. O som peculiar do gigante mamífero que ecoa no ambiente é o que mais desperta a atenção e curiosidade dos pequenos.

Foto: JCN

Assim, por meio da vivência nos variados ambientes e ecossistemas encontrados entre a serra e o mar, as crianças se encantam e aprendem. “Utilizamos os animais como atrativos para trabalhar o conteúdo dos roteiros, como a importância da água e dos seres vivos e sua relação com os seres humanos”, diz a educadora ambiental Ana Emília.

A proposta do CEA é incluir o Expedições Ambientais no conteúdo escolar do município, com quatro visitas/ano por escola. Atualmente, o projeto é desenvolvido de forma intensiva com os alunos da EM José de Oliveira, devido a proximidade como Sesc, o que possibilita o acesso apé. Segundo Ana Emília, há atividades com a unidade escolar todas as segundas-feiras. “Fizemos o eixo água com todas as salas e, neste mês de maio, vamos começar o eixo biodiversidade”.  

Foto: JCN

Veja também

Falta de moradias populares é o maior problema

Projeto Habitar-Brasil pode liberar verba e começar até o fi...

Bertioga-Especial

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware