Novo caminho a trilhar - Sistema Costa Norte de ComunicaçãoBertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga

Com reservas confirmadas de pelo menos 8 bilhões de barris de petróleo, o pré-sal brasileiro pode ser encarado como um enorme desafio, porém gerador de grandes oportunidades. Principalmente para os municípios localizados no litoral paulista. De Bertioga a São Sebastião a previsão é de um verdadeiro boom imobiliário, bancado, principalmente, pela operação industrial e o início da operação da UTG em Caraguatatuba. A contagem regressiva para entrar nesse potencial mercado já começou!  

Foto: JCN

Graças a exploração de petróleo e a investimentos que atingirão a marca de US$ 99 bilhões na Bacia de Santos até 2020, o mercado de trabalho e a geração de negócios na costa paulista prometem ser proporcionalmente grandes.

Segundo estudo feito pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT), as atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural nesse reservatório serão responsáveis pela criação de aproximadamente 59 mil postos de trabalho na região,sendo que 13 mil serão gerados diretamente pela Petrobras. Aliado a isso, uma intensa movimentação da iniciativa privada vislumbra que grandes mudanças se avizinhem.

De Bertioga a São Sebastião a previsão é de um verdadeiro boom imobiliário, bancado, principalmente,pela operação industrial e o início da operação da Unidade de Tratamento de Gás, em Caraguatatuba. Previsões futuras? Não! Esse novo tempo já começou!

Foto: JCN

Em Bertioga, o termômetro pode vir do setor de imóveis. O mês de abril bateu recorde de vendas na Riviera de São Lourenço, segundo Clóves Lemos, da Parceria Prime Consultoria de Imóveis. “Foi um índice de 80 a 95% maior que no mesmo período do ano passado. Sucesso total”, comemora, destacando que os três primeiros meses do ano também foram bons de vendas. Ele acredita que esta grande procura já é por conta da movimentação do mercado de petróleo e gás na região. “Bertioga, Guarujá e Santos são cidades de moradia e estão sendo bem procuradas”, diz. 

O engenheiro Ruben Del Rio Gonzalez, da Rubens Imóveis, que atua fora do eixo Riviera de São Lourenço, também sentiu esse aquecimento. “Ainda estamos no quinto mês e já vendi mais do que no ano passado”, diz,ressaltando que, no seu caso, houve um aumento nos valores dos imóveis negociados e não na quantidade, ou seja, a procura foi por imóveis de alto padrão. “O bairro mais procurado é o Maitinga”, destaca.

Mas, ao contrário de Lemos, Ruben ainda acha cedo atribuir a alta nas vendas ao mercado de petróleo e gás.“Penso que o mercado imobiliário ainda não sentiu essa influência. Mas quando isso realmente se concretizar, a tendência é o aumento no preço dos imóveis”, afirma.

Recente pesquisa do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) comprova a alta do setor. O resultado do levantamento aponta que a locação de casas e apartamentos aumentou 117,26%,e as vendas cresceram 24,07% entre janeiro e dezembro de 2009, no litoral paulista. “Esse desempenho positivo assinala possibilidade de maior crescimento ainda este ano, quando se espera que o Produto Interno Bruto tenha expansão de até 6% e não deixe saudades do PIB de 2009, que teve queda de 0,2%”, avalia José Augusto Viana Neto, presidente do Creci-SP.

Cidade não quer ficar de fora

Foto: JCN

Esse novo rumo que se descortina já gera expectativa em Bertioga. Segundo o prefeito Mauro Orlandini, várias empresas ligadas ao setor estão interessadas em investir no município. E sem perder tempo, a prefeitura já deu o sinal positivo quanto à possibilidade de uso da atual sede do Poder Executivo, o Paço Municipal. A área detém localização e estrutura considerada privilegiada para o setor: fácil acesso ao mar, por meio das margens do rio Itapanhaú, boa localização e espaço adequado (70 mil m²), ocupado por galpões de uma antiga indústria de processamento de sardinha.

Uma empresa, em particular, chegou a acenar nesse sentido, a Iesa Óleo e gás, prestadora de serviços de engenharia, pintura, inspeção em plataformas e em terra e montagem de módulos para plataformas, que, inclusive,já atende a UTG de Caraguá.

Caso o negócio siga adiante, as estimativas iniciais da prefeitura dão conta da abertura de cerca de 1 mil empregos diretos. Em termos contábeis, o município prevê acréscimo de R$ 10 milhões anuais na arrecadação tributária.

Diante dessa possibilidade, os primeiros passos foram dados pelo Executivo, com a elaboração de Projeto de Lei que propõe mudança pontual no Plano Diretor do município e tramita na Câmara Municipal. Se aprovado, o documento permite a instalação de empresas de montagem de módulos e blocos para plataforma offshore e indústria naval voltada à exploração de óleo e gás, estruturas para funcionamento de helipontos e outras atividades não poluentes, pertencentes à cadeia petrolífera na cidade.Ele também altera o zoneamento do Paço Municipal, que passa para Zona de Suporte Náutico (ZSN-1), destinando ao uso de atividades náuticas, como marinas, garagens náuticas, estaleiros, píeres, atracadouros, empresas de montagem de módulos e plataformas offshore.

Há de se considerar o aproveitamento desta área, já que é sabido que Bertioga possui pouco espaço para crescer em sua área urbana, mesmo dentro dos 15% destinados à ocupação.

Estado prepara planejamento

José Roberto dos Santos um dos responsáveis pela elaboração do Planejamento Ambiental Estratégico do Litoral Paulista (PINO – Porto, Indústria, Naval e Offshore), que prepara um panorama geral da infraestrutura de cada um dos nove municípios da Baixada Santista e das cidades do Litoral Norte (Ilhabela, Caraguatatuba, Ubatuba e São Sebastião), para receber investimento do setor de petróleo e gás, já adianta que Bertioga é uma das cidadescom o menor índice de possibilidades de ocupação por parte deste mercado. “A cidade tem muitas áreas de conservação, inclusive a de Itaguaré, que está em discussão. A princípio sabe-se que Bertioga não tem muitas áreas disponíveis. É uma pena,porque esse é um mercado muito dinâmico e há muitas indústrias procurando. Estamos cruzando os dados do município e, em um mês, teremos a resposta sobre os espaços na cidade com essa vocação”, adianta José Roberto.

Segundo o técnico, o estudo é feito por meio do cruzamento das análises das regiões protegidas comas que, de acordo com Plano Diretor de cada município, são destinadas para atividades econômicas. O próximo passo é avaliar quais destas têm vocação para receber investimentos do setor.

Luiz Carlos Rachid, coordenador do Prominp Bacia de Santo e assessor técnico da Agência Metropolitana de Desenvolvimento (Agem), diz que Bertioga tem grande potencial para se inserir na era do pré-sal devido a sua posição estratégica entre os dois pólos já existentes (Baixada Santista e Litoral Norte).“Bertioga está localizada na área central da bacia petrolífera de Santos e tem vocação, inclusive para desenvolver um importante pólo tecnológico, com olhar na criação de centro de inteligência do petróleo, com ênfase à preservação ambiental”.

Qualificação de mão de obra

Que as oportunidades de emprego no setor de petróleo e gás vão surgir na região é certo. Mas é preciso estar preparado. E para capacitar a mão de obra para este mercado promissor, o Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás), oferece cursos básicos de capacitação voltados para a mão de obra operacional. Oferecidas para cargos distintos como eletroeletrônica, instrumentação, projetista, desenhista, eletricista, instrumentista, cozinheiro, padeiro, técnico em solda, pintor, entre outros,as aulas proporcionam um aporte para a região.

Luiz Carlos Rachid, coordenador do Prominp Bacia de Santos, acredita que a formação de profissionais está acompanhando a demanda de empregos oferecidos na região. “As coisas começaram a acontecer este ano. Daqui a dois ou três, a quantidade depostos profissionais será muito grande e, se continuar nesse ritmo, vamos estar bastante preparados”.

O Prominp dá cursos de qualificação profissional, a fim de preparar jovens para as empresas que atuarão com petróleo e gás na região. Quatro ciclos desses cursos já foram realizados e, ainda este ano,deverá ser anunciado o quinto.

Os cursos são anunciados em editais e os interessados devem se cadastrar no site www.prominp.com.br. Se a pessoa estiver desempregada e for de nível médio, tem direito a uma bolsa de R$ 300. Se for de nível técnico, R$ 600 e se for de nível superior, R$ 900. O prefeito Mauro Orlandini, garantiu que havendo demanda de pessoas interessadas nestes cursos, a prefeitura irá disponibilizar transporte.

Em Bertioga, a primeira unidade particular a oferecer cursos ligados ao setor é a Microlins, com aulas teóricas e visitas à usina de Cubatão. Segundo a orientadora educacional Cleide Felício, a procura já é grande e 60 pessoas estão matriculadas, em duas turmas.

Cadeia de Fornecedores

Em entrevista ao programa Café da Manhã, da TV Costa Norte, em abril, José Luiz Marcusso, gerente--geral da Unidade de Negócios de Exploração e Produção da Bacia de Santos, da Petrobras, revelou que a Petrobras gasta na região cerca de R$ 15 milhões,por mês com “despesas corriqueiras”, e desse total,apenas 10% são de empresas da região. Resumindo, há oportunidades, também, para prestadores de serviços de diversas áreas, como, por exemplo, gráfica, publicidade, confecção de uniformes, espaços para eventos, construção civil, entre outros.

Para entrar nesse filão, segundo Rachid, bastaque o empresário faça sua inscrição no cadastro de fornecedores da Petrobras, no portal www.petrobras.com/pt/canaldofornecedor. Nele está disponível a relação dos documentos necessários ao cadastramento das empresas, de acordo com a sua categoria.

E no próximo dia 27, a Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, em parceria com a Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade – Investe São Paulo,Organização Nacional da Indústria do Petróleo(ONIP), AGEM-Agência Metropolitana da Baixada Santista e outras entidades da região promoverá evento sobre as Oportunidades de Negócios no Setor de Petróleo e Gás Natural. No encontro,serão apresentados aos empresários da região os mecanismos de participação nos cadastros de fornecedores da Petrobras e do CadFor (Sistemade Cadastro de Fornecedores para o Segmento Brasileiro de Exploração e Produção de Petróleoe Gás Natural da ONIP), formado por nove operadoras internacionais que atuam na atividade petrolífera nacional. Maiores informações poderão ser obtidas no site www.agem.sp.gov.br além do portal www.redebs.org.br .  


Veja também

Bertioga registra sua história

O terceiro ano de emancipação político-administrativa de Be...

1994

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware