Cidade caminha para gestão ambiental compartilhada - Sistema Costa Norte de ComunicaçãoBertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga

As leis são claras e cada vez mais rígidas, Municípios como Bertioga, com 85 % de seu território em Áreas de Preservação Permanente e que passou por um processo de crescimento desenfreado nos últimos anos, tem só um caminho: aproveitar todos os seus recursos naturais e se desenvolver de forma ordenada, controlando ocupações clandestinas, adotando planejamento em todas as suas ações e, principalmente, preparando a população para um novo tempo: o da preservação. E para isso, a Secretaria do Meio Ambiente tem papel fundamental ao trabalhar interligada com os demais setores ajudando na implantação dos programas turísticos, sociais, habitacionais e educacionais que levem em consideração os aspectos ambientais da região.

Foto: JCN

Segundo o secretário do Meio Ambiente, Manoel Prieto Alvarez, a atual administração trabalha em três frentes: na adoção do Programa de Gestão Compartilhada em parceria com a Cetesb e Secretaria de Estado do Meio Ambiente, no Projeto Areia Limpa e no Programa de Qualidade da Água Litorânea também em convênio com a Cetesb. O projeto Areia Limpa começou a ser efetuado em janeiro quando o prefeito Mauro Orlandini, em contato com a empresa Monte Azul, responsável pela coleta de lixo e limpeza pública da cidade, instalou, sem ônus à Prefeitura, um equipamento, espécie de trator, que peneira todo o material da praia impedindo que plásticos, por exemplo, e demais objetos poluam o ambiente.

O Programa de Qualidade da Água, em conjunto com a Cetesb, tem como meta tornar todas as praias de excelente balneabilidade o maior número possível de dias no ano. “Dos 365 dias do ano, as praias de Bertioga já chegaram a ficar 13 dias impróprias, mas ainda com bandeira verde, pois são consideradas as melhores do Litoral Paulista”, disse Manolo. A idéia é diminuir cada vez mais esse parâmetro para que as praias fiquem próprias durante todos os dias do ano. O que mais foi estranho, segundo Manolo, é que o problema foi constatado em dois pontos: no centro, onde existe rede coletora de esgoto e, portanto, não poderia estar imprópria, e em Boracéia.  


Veja também

Índios vivenciam dilema entre tradição e realidade

Os 280 índios tupi-guaranis da Reserva Indígena Rio Silveir...

Bertioga-Especial

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware