Indaiá, recanto de muitas possibilidades - Sistema Costa Norte de ComunicaçãoBertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga
Foto: Rosangela Ribeiro

Refúgio do poeta Vicente de Carvalho, o bairro Indaiá – um dos mais tradicionais de Bertioga – tem grande importância histórica e turística para o município. Recebeu esse nome em razão da grande quantidade de palmeira-indaiá que florescia no sítio no qual morou o Poeta do Mar, e ganhou notoriedade quando foi escolhido para abrigar a casa de veraneio do empresário e político José Ermírio de Moraes, fundador do Grupo Votorantim, em um tempo em que o acesso era feito somente por barco e caminhão. O Indaiá dos dias atuais guarda muito dos encantos naturais que conquistaram essas personalidades. No entanto, no  que se refere à sua parte urbana, o lugar sofreu enorme transformação. Influenciado pela abertura da rodovia Mogi-Bertioga e a construção da Riviera de São Lourenço, o bairro passou por importantes intervenções imobiliárias, tornando-se um dos mais populosos de Bertioga.  

Foto: Rosângela Ribeiro/ Arquivo JCN

Hoje, quem o visita, tanto pela avenida Anchieta, que corta toda sua extensão e dá acesso ao centro da cidade, quanto pela rodovia Mogi-Bertioga ou ainda pela Rio-Santos,  depara-se com uma imensidão de casas, comércios, pousadas e um movimento sem fim de pessoas. Nos finais de semana de sol e calor, a quantidade de pessoas é ainda maior. Apesar de não contar ainda com uma infraestrutura ideal, o bairro tem atraído olhares de muita gente, inclusive de investidores. Contudo, é preciso fugir do núcleo urbano e seguir em direção ao mar para ver as belezas que o local nos reserva.

Cantão poético

Foto: Rosangela Ribeiro

 A praia do Indaiá é o último trecho da praia da Enseada, que tem início no centro de Bertioga, na divisa com o canal. Parte de sua orla já recebeu jardins e iluminação, porém pouca estrutura para receber o turista, que  não conta com bares, restaurantes e pousadas à beira-mar. A faixa de areia larga e dura é ideal  para atividades de lazer, caminhadas e prática de esportes. A praia oferece, em quase toda sua extensão, mar calmo e águas rasas. Em alguns pontos, no entanto, é possível encontrar boas ondas para a prática do surfe. 

O Cantão é ainda mais inspirador. Não é à toa que foi o cenário escolhido por Vicente de Carvalho para dar vida a suas poesias. Seu costão verdejante é sedutor e se tornou local preferido para o mergulho de quem costuma ancorar suas embarcações por ali. O movimento nesse ponto da praia deve-se às garagens náuticas, ambulantes e pequenos bares e lanchonetes que atendem os turistas.

Foto: Rosangela Ribeiro

 Nos últimos anos, Bertioga vem se consolidando como destino ideal para pessoas com algum tipo de deficiência ou problemas de mobilidade. Entidades e prefeituras de outros municípios apontam a cidade como principal rota do turismo de acessibilidade e inclusão. Parte desse sucesso ocorre devido às condições de nossas praias: planas, de areias compactas e de baixa declividade, com trechos de mar calmo e quase sem ondas nem correntezas, oferecendo maior condição de segurança a banhistas e navegadores. 

Foto: Mar Franz

Por reunir todos esses atributos, o Cantão do Indaiá tem se estabelecido como opção natural para receber grande parte das atividades voltadas ao setor. A maior delas, Guaru-Bert, é realizada há três anos em parceria com a cidade de Guarulhos e chega a reunir mais de 1.500 pessoas. Com o auxílio de cadeiras-anfíbias, disponibilizadas pela prefeitura de Bertioga, por meio do programa estadual Praia Acessível, os visitantes têm a oportunidade de passear sobre a areia da praia e se banhar no mar. Muitos, pela primeira vez na vida.

Outros esportes adaptados, como vela e canoagem, também fazem parte desses encontros, que têm sido ampliados. Segundo o consultor em acessibilidade e inclusão, professor José Augusto Coelho Filho, esse tipo de turismo em Bertioga tem registrado um crescimento de mais de 30% ao ano. Em sua opinião, “a cidade é naturalmente acessível e tem tudo para se firmar nesse contexto, falta apenas que se organize melhor o receptivo e melhore sua  infraestrutura”. Augusto foi precursor de atividades para pessoas com deficiências no município. São dele os projetos Verlejando e o Ecocaiaque, implantados pela prefeitura em 2014.

Arte e cultura caiçara 

 O bairro que inspirou um dos grandes poetas brasileiros não poderia deixar de apresentar profundas raízes artísticas e grande reverência pela cultura caiçara, ainda fortemente representada por seus antigos moradores. O artesanato tradicionalmente desenvolvido pelos pescadores e suas famílias, feito de cestarias, conchas, bambu e madeira, deu início a um legado que permanece vivo até os dias de hoje. Quando chegou a Bertioga, em meados de 1974, o artesão John Balthazar deparou-se com uma produção ainda expressiva desse artesanato tipicamente caiçara. “Porém, as novas tendências trazidas por turistas e veranistas oriundos de outras regiões do país fizeram com que a demanda fosse se modificando. Tivemos que nos profissionalizar”, conta. 

Foto: Foto Nativa

Com a popularização do bairro, John chegou a criar um roteiro de visitação em seu ateliê, que recebia inclusive turistas estrangeiros. Foi dele, também, a iniciativa de montar a primeira feira de artesanato do bairro, na praça José Ermírio de Moraes. Com o tempo, o movimento perdeu um pouco de sua força, porém, mesmo que por caminhos diferentes, a tradição seguiu seu curso e, hoje, John une-se a um pequeno número de outros artesãos que continuam produzindo e vivendo de sua arte. Representantes da memória do movimento artístico do Indaiá.


Veja também

Dia do sim será comemorado com extensa programação

Bertioga está comemorando hoje, dia 19 de maio, três anos d...

1994

© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware