Itatinga, patrimônio a ser preservado - Sistema Costa Norte de ComunicaçãoBertioga-Especial | Sistema Costa Norte de Comunicação
Voltar para especial bertioga


Considerada um verdadeiro santuário ecológico,a Vila de Itatinga conta com uma rica variedade de ecossistemas por estar localizada em plena Mata Atlântica e encrustada no Sopé da Serra do Mar.Construída pelos ingleses no século XIX, ela ainda mantém as características originais e também abriga a primeira Usina Hidrelétrica do Brasil que, em 10 de outubro de 1910, passava a gerar energia para o Porto de Santos, o que acontece até hoje, com seus equipamentos e instalações em perfeitas condições.


Foto: JCN


A preocupação em manter intacto esse patrimônio histórico, cultural e ambiental desencadeou manifestação popular e de autoridades municipais e estaduais que resultou no pedido de tombamento de toda a área que tramita no Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat).A abertura do procedimento, chamado “guichê” e protocolado sob o número 00725/99, em 29 de dezembro do mesmo ano, já assegura a preservação da Vila que foi tema de audiência pública no último dia 11, na Faculdade Bertioga, quando o objetivo foi debater o futuro desse patrimônio.

A boa notícia para a comunidade veio do próprio presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo, José Roberto Serra, que anunciou: “não faz parte dos planos da Codesp privatizar Itatinga”. Por sua importância histórica e ambiental, avila mantida pela estatal também será beneficiada com obras de recuperação das casas em estilo inglês e de todo o entorno como aconteceu com a usina. Nos últimos dois anos, a Codesp investiu R$ 10 milhões na reforma do sistema para geração e distribuição de energia dentro do programa de modernização que prevê aumentar a capacidade da usina de 15 para até 18 megawatts. E, junto com o município e a comunidade, a Codesp espera que sejam desenvolvidas ações e projetos ambientais e ecoturísticos que visem, acima de tudo, manter preservado esse patrimônio de Bertioga.


Foto: JCN


Paraíso escondido

Construída para abrigar a usina, a Vila de Itatinga encanta por suas casas, tipicamente inglesas,todas iguais e dispostas ao longo de uma única rua.Entre as construções com características do séculoXIX está a Capela Nossa Senhora da Conceição.

No local não entram carros e o acesso é feito por barco e um bondinho que percorre 7,5 quilômetros,cortando mangues e riachos até chegar à vila.

No caminho para Itatinga, que começa no portinho após a travessia de barco pelo rio Itapanhaú, é possível observar as ruínas da Capela de Nossa Senhora dos Pelaes que datam do século XVIII.


Foto: JCN


Porém, as principais atrações ficam por conta da natureza e das inúmeras trilhas ecológicas que levam a verdadeiros paraísos cercados pela flora e fauna da Mata Atlântica. Muitos desses caminhos viraram roteiros turísticos que só podem ser explorados por agências credenciadas pela Codesp e Prefeitura de Bertioga.

Entre os roteiros, há várias trilhas como a dos Três Poços, que leva a piscinas naturais de águas cristalinas depois de uma caminhada que não é muito complicada. Passando por uma ponte localizada atrás da usina hidrelétrica, chega-se, também,às margens do rio Itatinga com suas águas límpidas e pedras brancas que formam um cenário especial.O próprio caminho feito pelo bondinho é uma atração à parte passando por riachos em trechos que cortam a Mata Atlântica.

Em atividade desde 1910

Em Itatinga, impressiona os turistas a construção da usina hidrelétrica que está ligada à história do Porto de Santos. Em 1903, a Companhia Docas de Santos, administrada pelas famílias Guinlee Gaffrée, comprou a Fazenda Pelaes, no sopé da Serra do Mar, em Bertioga. O objetivo era através da construção de uma usina própria, poder dar seqüência às melhorias técnicas do Porto de Santos.Projetada pelo engenheiro Guilherme Benjamin Weinschenk, a usina começou a ser construída em agosto de 1905 e foi inaugurada em 10 de outubro de 1910.

Foto: JCN


Sua energia destinava-se a eletrificação das instalações do porto, iluminação geral do cais, armazéns e escritórios. Basicamente a água que abastece a usina vem do rio Itatinga, localizado no limite entre os municípios de Bertioga e Mogi das Cruzes.A captação da água é feita a uma altura superior a 900 metros na curva do rio onde antes existia uma cachoeira. A Usina de Itatinga sempre foi operada pela empresa administradora do porto, inicialmente a concessionária particular Companhia Docas de Santos e, a partir de 1981, pela sucessora a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) responsável pela manutenção da vila até hoje. Desde sua construção, a usina vem operando ininterruptamente e sua capacidade possibilita a Codesp manter o funcionamento das instalações portuárias.  


Veja também
© 2018 Todos os direitos reservados ao Sistema Costa Norte Comunicação | Powered by Mundiware